novembro 26, 2008

Polícia cumpre mandato de busca e apreensão em casas de pichadores

Por Renato Fernandes

A Polícia Civil de Botucatu cumpriu mandato de busca e apreensão na casa de cinco pichadores da gangue “Os Kchapas”, na manhã de 25 de novembro. Os vândalos são acusados de terem pichado, entre os dias 8 e 10 de novembro, mais de 40 imóveis, entre eles uma igreja e uma delegacia da Vila dos Lavradores, em Botucatu – interior de São Paulo.

Nas residências as autoridades policiais, lideradas pelo delegado Marcos Mores, foram encontrados siglas e símbolos semelhantes às pichações, o que, segundo o delegado, comprova a participação dos menores nos atos ilícitos.

Na delegacia, os policiais ouviram quatro menores, que confessaram as pichações e denunciaram outros membros. Por se tratar de menores de idade o grupo foi liberado e responderá ao inquérito policial em liberdade, podendo ser condenados a penas alternativas ou internação na Fundação Casa.

Segundo o delegado Mores, a gangue é composta por oito elementos, três deles maiores de idade e deverão ser ouvidos e responder por formação de bando ou quadrilha, com penalidades que vão de um a três anos de detenção. Existe a possibilidade da polícia solicitar a prisão preventiva dos maiores.

A gangue durou apenas 15 dias. Em Botucatu pichação é considerada crime, podendo levar os infratores à cadeia por formação de quadrilha.

O exemplo da cidade tem provocado a projeção do delegado Marcos Mores, que vem sendo convidado para palestrar sobre os procedimentos de identificação dos pichadores e métodos aplicados para a prisão dos mesmos.