fevereiro 09, 2009

Biro Biro garante: "Sou bem melhor que o Maradona"

O Jogador participou da Festa dos Bxos promovida pelo Colégio Anglo, na sexta-feira (06)

Texto e foto - Renato Fernandes

A cidade de Botucatu recebeu a visita de Antônio José da Silva Filho, que ficou conhecido em campo como Biro Biro, ex-jogador do Corinthians, no primeiro final de semana de fevereiro.

Biro Biro foi a sensação do time nos anos oitenta. O jogador é um eterno ícone da torcida e autor de jogadas consagradas como na final do Campeonato Paulista de 1982, quando fez o gol do título contra o São Paulo, por entre as pernas do arqueiro tricolor Valdir Peres.

A vista a Botucatu é especial, o jogador entregou na noite de ontem um carro zero quilômetro à melhor aluna da escola Anglo. Na noite anterior, sexta-feira, ele foi a grande sensação da “Festa dos Bixos”, promovida no próprio Anglo, onde distribuiu autógrafos e atendeu fãs e crianças.

Durante o evento o jogador concedeu uma rápida entrevista ao blog O Grito.

O Grito - O Corinthians continua o mesmo?
Biro Biro - Sou Corinthiano com muito orgulho. O time está ótimo a contratação do Ronaldinho vai fazer bem para a equipe. Estamos por cima, o elenco está dando conta do trabalho.

O Grito - Existem muitos jogadores se envolvendo em polêmicas. O que acontece? Os tempos mudaram ou os jogadores estão mais descuidados?
Biro Biro - Isso sempre houve. Na minha época de futebol já existiam histórias, mas o jogador precisa saber os caminhos que trilha Atualmente a imprensa também tem acompanhado os profissionais mais de perto e mostrado seu cotidiano. Na minha opinião, o jogador pode ir para qualquer lugar que quiser, ele também é uma pessoa, que vá beber uma cerveja, namorar e sair com travesti ou não. O importante é o desempenho que ele tem em campo.

O Grito - Os craques da bola são muito bem remunerados. Você considera discrepantes os salários de hoje e de ontem?
Biro Biro - Sem dúvida nenhuma hoje ganha muito bem. Na minha época não tinha do que reclamar, mas não era igual atualmente. Mas esses salários altos são privilégios de poucos, a grande maioria dos profissionais da bola ganhar apenas o suficiente para viver. Esses que recebem remuneração elevada é por mérito.

O Grito - Você concorda com o êxodo dos jogadores brasileiros, que antes mesmo de fazerem nome no Brasil já partem para o exterior?
Biro Biro - Tem que mudar a lei. Essa lei Pelé foi muito boa por um lado, mas por outro realmente tem prejudicado o aparecimento de novos ídolos. Tem que deixar os jogadores no país até os 26 anos, e depois que vá para onde quiser, isso ia melhorar bastante a qualidade de nosso futebol.

O Grito - Você jogou com o botucatuense Zé Maria, o que tem a dizer desse atleta?
Biro Biro - Joguei com ele em 1979, e sou muito amigo dele. Ele merece estar entre os melhores jogadores que já passaram pelo Corinthians, Seu trabalho era espetacular e digno de todo o reconhecimento.

O Grito - Recentemente você participou de uma campanha da Coca Coca, que questionava quem foi o melhor Biro Biro ou Maradona, você venceu. Concorda com o resultado? Você realmente melhor?
Biro Biro - Tenho que ganhar mesmo! Acha que vou deixar um argentino ganhar de mim, aqui no Brasil? Ainda mais por tudo o que fizemos pelo futebol nacional e o carinho que o torcedor tem pelo nosso trabalho. A pessoa tem um carinho muito grande por tudo o que representamos dentro do clube e isso é maravilhoso. Além disso, sou bem melhor que o Maradona (risos).