fevereiro 16, 2009

Posse de Arcebispo mobiliza secretarias da prefeitura

A posse do novo arcebispo metropolitano Dom Maurício Grotto de Camargo, na tarde de ontem [15], na catedral Metropolitana, mobilizou grande estrutura da Prefeitura Municipal. O evento reuniu quase duas mil pessoas, entre populares, autoridades civis e militares, e caravanas de diversas cidades da diocese botucatuense.

A Secretaria de Governo se responsabilizou pela coordenação dos trabalhos entre todas as secretarias envolvidas; pela recepção do Núncio Apostólico Dom Lorenzo Baldisseri e do Arcebispo; pelo cerimonial e o certificado de boas vindas ao arcebispo - confeccionado em papel reciclado artesanalmente por crianças de Rubião Junior que participam de um projeto social feito em parceria com a Faculdade de Medicina de Botucatu e a Ação da Cidadania.

O prefeito João Cury deu as boas vindas e representou todas as autoridades em um discurso [leia a íntegra abaixo].

A Secretaria de Cultura ofereceu a corporação musical Dr. Damião Pinheiro Machado que executou os hinos Nacional e Pontifício e a canção oficial do município. A Secretaria de Segurança utilizou 20 mebros da Guarda Civil Municipal e coordenou toda a estratégia de proteção policial ao Núncio Apostólico e comitiva.

Abaixo a íntegra do discurso do prefeito João Cury:



"Por ter sido gerada do amor, a Igreja irradia o amor. E o faz anunciando o mandamento de amar uns aos outros, como o Cristo nos amou, ou seja, até ao ponto de entregar sua própria vida por nós. Que Deus nos tenha amado desde o início e não hesitado em entregar, por amor, seu Filho, leva a Igreja a percorrer até o fim o caminho do amor. E ela é chamada a fazê-lo com o frescor de um casal que se ama na alegria da doação sem reservas e na generosidade quotidiana, seja quando o céu da vida é primaveril e sereno, seja quando caem a noite e a névoa do inverno do espírito."

Proferidas por Sua Santidade o papa João Paulo Segundo na audiência geral de sete de fevereiro de dois mil e um, estas palavras nos trazem à essência deste primeiro encontro da cidade de Botucatu com seu novo Arcebispo, Dom Maurício: um encontro de amor de uma comunidade que, independentemente do credo e da congregação religiosa de cada um, sempre olhou para a Arquidiocese e seu símbolo mais expressivo, nossa Igreja Catedral, como uma tocha que eternamente arde irradiando a luz do amor do Pai.

E é justamente este amor que hoje nos reúne, irmanados no desejo de expressar do fundo de nossos corações as boas vindas àquele que será o pai, o mentor, o guia espiritual de todos os católicos de uma diocese que, embora levando o nome desta cidade de Santana de Botucatu, abraça com igual amor, zêlo e carinho, nossos irmãos de Aparecida de São Manuel, de Avaré, de Águas de Santa Bárbara, de Arandu, de Areiópolis, de Anhembi, de Bofete, de Borebi, de Conchas, de Cerqueira César, de Iaras, de Igaraçú do Tietê, de Itatinga, de Laranjal Paulista, de Lençóis Paulista, de Macatuba, de Pardinho, de Pereiras, de Pratânia e de São Manuel.

Nominando os componentes civis de nossa circunscrição eclesiástica, podemos perceber outra fonte de alegria em nossos corações. A presença do excelentíssimo reverendíssimo núncio apostólico Dom Lorenzo Baldisseri nos lembra a figura amada do santo padre Bento Dezesseis e nos faz refletir sobre a responsabilidade que deve ser compartilhada entre Estado e Igreja, todas as igrejas, na formação e educação de nossa juventude. De fato, somente podemos nos alegrar ao constatar que a arquidiocese de Botucatu vem revelando vocações de sacerdotes cuja inteligência, liderança e devoção os têm levado ao alto estudo teológico na cidade do Vaticano. Nos alegramos também que nesta cidade protegida por Anna, cujo nome significa "graça" e cuja vida foi sinônimo de paciência e resignação, convivam harmoniosamente, em diferentes igrejas e templos, dezenas de milhares de homens e mulheres de boa vontade, que procuram, dentro de nossas fraquezas e imperfeições humanas, levar consigo a tocha do amor e da esperança, a mesma com a qual, talvez, nosso bom Deus nos tenha iluminado pela primeira vez com o dom da vida.

É mister também expressar uma importantíssima palavra de carinho filial para com aquele que demonstrou seu amor pelo Pai e por nós, seus filhos espirituais, até o limite de suas forças. É com a mesma alegria deste primeiro encontro com seu sucessor, que acompanhamos a recuperação de nosso arcebispo de oito anos, Dom Aloysio José Leal Penna, que sempre discreto, presidiu reformas de grande impacto tanto no plano da devoção quanto da administração religiosa diocesana, e, como agradecimento, elevamos ao Pai uma prece especial, uma súplica para que sua vitalidade e jovialidade sejam breve e plenamente restauradas.

Encerrando, como líder cívico de nossa cidade, coloco a administração pública ao serviço de Dom Maurício, certo de que será ele, como representante do Santo Padre e como homem de fé e piedade, um de nossos mais valorosos aliados na luta por uma cidade, uma região e um mundo mais justo, mais fraterno e mais digno para todos.

Subsecretaria Municipal de Comunicação / Botucatu