abril 06, 2009

13% dos estudantes de Botucatu consomem álcool em níveis de risco, aponta estudo

Parte de um projeto de pesquisas sobre o estilo de vida e o consumo de álcool e drogas dos estudantes das escolas de Botucatu, um levantamento feito em 2008 com estudantes dos ensinos fundamental e médio de instituições públicas e privadas, mostrou que, em média, 40% dos alunos do ensino médio são bebedores regulares de bebidas alcoólicas, sendo que 13% deles já estão bebendo numa faixa de risco. Mostrou ainda que 7% desses estudantes já consumiram algum tipo de outra droga, alguma vez na vida. Segundo a docente do Departamento de Neurologia, Psicologia e Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Florence Kêrr Correa, coordenadora do estudo junto com professor José Manoel Bertolote, apesar de preocupantes, essas taxas são inferiores as taxas médias relatadas em outros estudos nacionais.

Dando continuidade a este projeto, será iniciada nas próximas semanas uma nova fase, com financiamento do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e do Ministério da Saúde. “Nesta etapa, nos concentraremos apenas nos alunos do curso médio, e o objetivo será o de identificar problemas associados ao uso inadequado de álcool, numa abordagem preventiva. A intenção é ajudar os estudantes a identificar padrões nocivos de ingestão de álcool e as melhores estratégias para prevenir ou retificar tais padrões, por meio de uma abordagem de intervenção breve”, observa a docente. Todos os alunos do curso médio serão convidados a participar, mas haverá um sorteio ao acaso para definir os que participarão.

Inicialmente, será aplicado um curto questionário para triagem inicial de duração inferior a cinco minutos, para seleção dos participantes. Os selecionados serão submetidos a uma primeira sessão de avaliação e informação, de duração média de 30 minutos. Após 15 a 20 dias, haverá uma sessão adicional de informação e avaliação. Haverá dois contatos de seguimento e reforço, seis e doze meses após a segunda sessão.

Todas as informações obtidas serão tratadas como sigilosas. As respostas dadas pelos alunos não serão divulgadas, de tal forma que nenhum deles poderá ser identificado. A participação de cada aluno será condicional à assinatura de um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, assinado tanto pelos pais ou responsáveis quanto pelo próprio aluno.

Qualquer dúvida sobre qualquer aspecto deste trabalho poderá ser esclarecida, nos horários comerciais, pelo telefone (14) 3811-6260 (Nathalia, Sandra, Dra. Maria Odete, Dr. José Manoel e Dra Florence) ou 14-3811-6338 (Alayde), ou no site www.viverbem.fmb.unesp.br que contém, também, informações sobre o assunto.

Espera-se que os resultados deste novo estudo
possam ajudar as autoridades locais a melhor orientar as políticas e estratégias visando a prevenção e controle do consumo de substâncias por escolares.

Da Assessoria de de Imprensa da FMB