abril 07, 2009

Botucatu atende requisitos para instalação de Parque Tecnológico

O coordenador de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Vahan Agopyan, disse que a cidade de Botucatu preenche todos os pré-requisitos para obter a instalação de um parque tecnológico. A afirmação foi feita na tarde dessa terça-feira [7], em visita técnica e reunião no município. “Botucatu tem a área, o centro de produção de conhecimento, boa localização e logística, o investidor privado, e principalmente o apoio do governo local”, explica.

Agopyan estava acompanhado da Assessora Técnica Margareth Lopes Leal e mostrou-se satisfeito com o anteprojeto elaborado e apresentado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico junto com os demais agentes envolvidos, como a Unesp, Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais [Fepaf], Fatec. O coordenador ficou impressionado com os IDH [índices de Desenvolvimento Humano] que é – 0,8; e a renda per capita da cidade [R$ 15mil/ano/habitante]. “Estou entusiasmado com esses números, o IDH é nível de primeiro mundo”, disse.

Pelo anteprojeto, o Parque Tecnológico de Botucatu seria de terceira geração, abrigando empresas, lazer e eventos, moradia e melhoria da qualidade de vida. O eixo condutor será ‘pesquisa-desenvolvimento-inovação’ “A proposta é interessante, com empregos de alto nível, bons salários e produtos com grande valor agregado”, comentou o representante do Governo Estadual.

“Nosso parque será focado em bioprocessos, serviços e produtos ambientais, produtos da fauna e flora, tecnologias sociais e logística”, explicou durante a apresentação o diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas, Edivaldo Domingues Velini . “Queremos empresas de alta tecnologia, de energia limpa e que possam dar a Botucatu e toda a região um novo rumo no desenvolvimento”, completa Veiga.

Agopyan enumerou as vantagens de um parque tecnológico fazer parte do sistema Sptec, da Secretaria de Desenvolvimento do Estado. “As empresas ficam integradas aos demais parques do Estado, inseridas num clube que possibilita a troca de informações e tecnologias. Além disso, as empresas podem usar os créditos do ICMS retido imediatamente; e tem o apoio do Governo do Estado”, declara.

De acordo com Agopyan, para acontecer o pré-credenciamento Botucatu deve apresentar uma proposta oficial à Secretaria de Desenvolvimento do Estado, o que deve acontecer daqui a dois meses. “Precisamos acertar os últimos detalhes, nosso projeto foi muito bem fundamentado e não temos obstáculos”, disse o entusiasmado secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico Ricardo Veiga.

Benefícios - para o secretário Adjunto do Comércio e Serviços, José Carlos Stein, é um projeto que vai beneficiar toda a cadeia produtiva da cidade, gerando emprego e renda. “Com bons empregos e boa renda reverte diretamente na qualidade de vida dos cidadãos”.

O secretário-adjunto da Indústria Paulo Urbanavícius disse o fato das indústrias e empresas poderem utilizar os créditos do ICMS. “É um incentivo a mais para atrair empresas com o perfil que desejamos”, explica.

Paulo Machado, secretário adjunto de Ciência e Tecnologia disse que é uma possibilidade imensa de transformar as teses e pesquisas em tecnologia e produtos. “Isso vai mudar o enfoque da orientação dos docentes, inovando a pesquisa local”, conta.

Um parque tecnológico é um agrupamento, num mesmo ambiente, de universidades, centros de pesquisa, centros de desenvolvimento, incubadoras, indústrias e empresas de base tecnológica. Ele conta com infra-estrutura de lazer, residências, redes de comércio e de prestação de serviços, hotéis e centro de eventos. A idéia é criar um ambiente de incentivo à inovação e à troca de conhecimento.

Da Subsecretaria de Comunicação e Informação da Prefeitura de Botucatu