abril 07, 2009

Botucatu pode abrigar sistema de energia eólica

O Vice-Prefeito, Prof. Caldas, os Secretários de Planejamento, Mário Pilan e do Meio Ambiente, Mário Sérgio Rodrigues receberam na manhã desta segunda-feira, 06, uma comitiva do Governo do Estado para discussão da implantação de um sítio de energia eólica, formada pelos ventos, em Botucatu.

A cidade foi uma das escolhidas do Estado para receber a visita e avaliação dos técnicos da Secretaria de Saneamento e Energia do Governo. Os locais avaliados nesta segunda-feira foram o topo da Cuesta, o mirante do Lageado e as proximidades do Ginásio de Esportes, Mário Covas, no Bairro Alto.

Caso algum destes locais seja escolhido, será instalada uma torre com cerca de 100 metros de altitude para avaliar durante um ano a intensidade dos ventos em Botucatu. A intenção do Governo do Estado é elaborar um atlas eólico do Estado de São Paulo e disponibilizá-lo ao interesse privado. Sete torres serão instalados no interior paulista e após o prazo de avaliação todos estes locais podem receber empresas de energia eólica, o que pode gerar renda, empregos e benefícios ambientais ao município.

A SABESP, Unidade de Negócio do Médio Tietê, é uma das empresas interessadas em construir um parque eólico em Botucatu. O engenheiro Layre Colino Jr., inclusive, já elaborou um projeto para o município, que prevê um sistema de energia para aproximadamente 400 residências. “A vantagem da energia eólica é que podemos evitar apagões, pois reforçamos o sistema elétrico, além de colaborar com o meio ambiente, pois é uma forma “limpa” de geração elétrica”, explicou o engenheiro. O sistema eólico também ajuda na economia das contas de energia.

Da Subsecretaria de Comunicação e Informação da Prefeitura de Botucatu