abril 29, 2009

Encontro de gerações: Ricardo Vignini e Índio Cachoeira dividem o palco


Ricardo Vignini & Zé Hélder- Led Zeppelin - Kashimir

Por Renato Fernandes


Botucatu receberá no dia 21 de maio o show “Viola Caipira: Duas Gerações - tradições e inovações”, com os violeiros Ricardo Vignini e o Índio Cachoeira, no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, com entrada franca. A proposta do show, apoiado pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, é reunir dois violeiros de idades e linguagens diferentes no mesmo palco. A entrada é franca.

Índio Cachoeira gravou seu primeiro CD, “Solos de Viola Caipira”, em 2007, com recursos do Fundo Municipal de Cultura de Guarulhos (FunCultura). Em 2008, o instrumentista rompeu as fronteiras do país e teve seu trabalho veiculado em programa de rádio de Tallinn – capital da República da Estônia (Europa Setentrional).

Além de ser um exímio violeiro, Cachoeira é luthier (fabricante de instrumentos) e autodidata. Já participou de várias gravações de CDs de música raiz, tendo parceiros importantes, como Cacique (da dupla Cacique e Pajé); Tião do Gado; Carreiro (da dupla Carreiro e Carreirinho), entre outros.

Já Ricardo Vignini é violeiro, compositor, professor de música, produtor fonográfico e cultural, e pesquisador de música tradicional.

Nascido na capital, durante toda a sua adolescência tocou guitarra, em estilos distantes da moda de viola, como Rock e Blues. Nessa época conheceu Marcelo Berzotti e Alex Mathias, companheiros que formaram o grupo ‘Matuto Moderno’. Tocou em bandas como Tomate Inglês e Cheap Tequila e atualmente faz parte do Matuto Moderno.

Tocou com os músicos americanos Bob Brozman, e Woody Mann em suas turnês brasileiras. Tocou também em duo com Christiaan Oynes e em participações com a banda Sergio Duarte & Entidade Joe.