abril 22, 2009

Exposição mostra a Botucatu de ontem e hoje

Por Renato Fernandes

O saguão do Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, abriga até o dia 15 de maio, a exposição “Máquina do Tempo”, com ampliações de cartões postais doados pela família do comerciante Arthur Bratke e imagens do fotógrafo Marcelino Dias.

Bratke foi comerciante e possuía uma papelaria onde hoje funciona o Banco do Brasil, na Praça Comendador Emílio Peduti (Bosque), no início do século 20.

Dias explica que foi convidado pela Secretaria Municipal de Cultura para organizar a exposição, com a missão de contrapor as imagens de ontem com retratos das mesmas localidades na atualidade.

O início do trabalho foi o tratamento dos postais antigos. “São fotos antigas coloridas à mão, que foram ampliadas para o tamanho de 25 por 38 centímetros. São 20 postais do comerciante e 20 fotografias minhas”, explica o fotógrafo.

Segundo ele o trabalho foi motivador e o colocou frente a frente com a Botucatu de ontem e hoje. “É impressionante ver que existem algumas localidades que sofreram pouca influência do tempo e outras que estão reconhecíveis”, disse.

Dias acrescenta que as imagens mostram os corredores da cidade, suas paisagens e costumes que atravessam épocas, com reproduções de cenários da Amando de Barros, Cardoso de Almeida, Fazenda Experimental Lageado e a Santa Casa de Misericórdia.

Paralelamente à mostra fotográfica no saguão do Municipal, ocorre a exposição de artes comemorativa aos 25 anos do Museu de arte Contemporânea Itajahy Martins, denominada ‘Provocando Olhares”, onde estão sendo exibidas as aquisições dos últimos 10 anos do museu e as principais obras contemporâneas do acervo permanente.

O Municipal fica na Praça Coronel Moura e o MAC, na Avenida Dom Lúcio, nº 755.
Informações pelo telefone: (14) 3882-0133.