maio 29, 2009

Botucatu: agressora de idosa pode ter problemas mentais

Vídeo exclusivo, fornecido pela empresa de segurança, sobre o caso de agressão a idosa, em Botucatu

Por Renato Fernandes

Em entrevista à TV Tem, no dia 29 de maio, Sandra Regina Barbosa, irmã da empregada flagrada por um sistema de segurança, agredindo uma idosa de 70 anos, cega, muda e com dificuldades de locomoção, disse que a agressora sofre com problemas mentais.

Na reportagem ela apresenta laudos, remédios e receitas de medicamentos psiquiátricos e afirmou que a família da idosa tinha consciência dos problemas de sua irmã quando a contratou. “Ela é agressiva e irritada”, disse ao repórter da emissora .

Em seu depoimento, a empregada disse não se lembrar das agressões, mas informou que brigava com a idosa por causa de uma boneca.

Na tarde de ontem, os advogados responsáveis pela defesa da empregada abandonaram a cliente.

A suspeita de que a idosa vinha sendo constantemente agredida passou a fazer parte do cotidiano da família há cerca de dois meses, quando perceberam que a mesma vinha apresentando hematomas pelo corpo.

Entrevistado pela reportagem do blog O Grito Notícias, o proprietário da empresa Eletro Peres, Rogério Peres, responsável pelas filmagens explica que a instalação de sistemas semelhantes deve acontecer sempre que existam suspeitas. “Esse não é o primeiro caso que minha empresa registra, existem outras situações em que trabalhamos, mas geralmente não temos autorização da família para a divulgação. Nesse caso é diferente, as agressões são mais violentas e a família nos autorizou”, disse o empresário.

Apesar na experiência no ramo, Peres destaca que ficou impressionado. “ em outras situações vemos agressões contra pessoas que tem condições para se defender, nessa situação não, a idosa é completamente indefesa, as cenas que foram filmadas são realmente chocantes”.

O caso ganhou proporção nacional, com a divulgação de imagens e vídeos em quase todos os canais abertos da televisão brasileira e também na internet. Na tarde de ontem a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, pediu informações sobre o assunto que em Botucatu vem sendo acompanhado pela Delegacia de Defesa da Mulher.

Saiba mais clicando aqui