junho 18, 2009

Condephaat analisa a Fazenda Experimental Lageado para possível tombamento histórico

Por Renato Fernandes

O câmpus da Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, Fazenda Experimental Lageado, receberá a visita de uma Comissão do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo (Condephaat), na próxima quarta e quinta-feira, dias 24 e 25 de junho.

Segundo informações da coordenação do projeto de Revitalização de Uso da Área Histórica da Fazenda Lageado, a equipe contará com a presença da Diretora do Grupo de Estudos de Tombamento, Leonora Portela de Assis, da diretora do Centro de Estudos de Bens Isolados, Ana Luíza Martins e do Arquiteto Paulo del Negro.

O objetivo da visita na área histórica da fazenda, é analisar as edificações (interna e externamente); desenolver um levantamento fotográfico atual de todos os bens; e verificar a área envoltória.

A análise será finalizada com a visita à biblioteca para visualização de plantas e desenhos do projeto original da fazenda.

Para a coordenação do projeto de Revitalização, é um importante marco no processo de tombamento do conjunto histórico do Lageado, destacando que o pedido inicial pelo tombamento foi formulado em 1986.

Desde então, uma série de ações passaram a serem tomadas, mas nada que tornasse necessária a avaliação dos profissionais do Condephaat. Em 2006, os trabalhos foram retomados graças as atividades desenvolvidas, no projeto de “Revitalização de Uso da Área Histórica da Fazenda Lageado”, e ao esforço pessoal do arquiteto Guilherme Michelin.
O tombamento do patrimônio também foi tema de discussões internas, submetendo a matéria às Congregações da Faculdade de Ciências Agronômicas, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia e ao Grupo Administrativo do Campus, no ano de 2007.

Após a visita, de acordo com os relatórios técnicos que serão elaborados, o processo passará para a fase final, que é a apreciação pelos conselheiros para o aval do tombamento.

A Fazenda Lageado possui um conjunto de prédios, instalações e equipamentos que mostram a importância e a pujança da cultura cafeeira, durante sua expansão na região oeste do Estado de São Paulo. Parte dos prédios estão em razoável estado de conservação permitindo a visitação pública. Com o tombamento, esses espaços serão ainda mais valorizados e preservados.

A mudança também permitirá a proteção legal e a possibilidade de abrir espaços para pleitos, na área pública, como na iniciativa privada, objetivando a obtenção de recursos para restauração e preservação de sua área histórica.