junho 08, 2009

Morre, aos 89 anos, jornalista e imortal da APL Israel Dias Novaes

Faleceu de infarto no último dia 6 de junho de 2009, aos 89 anos, o imortal da Academia Paulista de Letras Israel Dias Novaes. O velório do acadêmico, que ocupava a cadeira nº 3, foi na própria academia e o corpo foi cremado na Vila Alpina.

Israel Dias Novaes nasceu na cidade de Avaré, no dia 30 de abril de 1920. Era bacharel em Direito pela USP, onde fundou e dirigiu o jornal "O Libertador”. Jornalista profissional, colaborou com a Revista da Academia de Letras da Faculdade; foi redator, secretário-geral e redator-chefe do "Correio Paulistano"; redator do "Diário da Noite", do "Correio Brasiliense" e do "O Tempo". Atuou, também, na política como chefe de gabinete de Secretário do Governo do Estado e como Secretário do Governo Jânio da Silva Quadros. Além disso, foi o deputado estadual e federal de 1958 a 1986, tendo sido, em uma das eleições, consagrado como o deputado mais votado.

Além de imortal da APL, compunha a Academia Paulista de Jornalismo; o Instituto Genealógico Brasileiro; a Associação dos Cavaleiros de São Paulo; a Academia Brasiliense de Letras; a Academia Jordanense de Letras.

Além de bacharel em Direito e jornalista, Israel Dias Novaes foi escritor, tendo lançado o livro "Papel de Jornal", coleção de ensaios e artigos. Destacou-se, ainda, como orador do Instituto Histórico e Geográfico do Estado de São Paulo, vice-presidente do Conselho de Honrarias e Mérito do Estado de São Paulo; colaborador da Revista Brasileira de Poesia, no "D.O.Leitura", no "Correio Brasiliense", e da grande imprensa brasileira; e como conferencista. Ganhou, também, o Prêmio "Fagundes Varella" de Ensaios sobre o centenário do poeta.