junho 22, 2009

Pós-graduação em Ciência Florestal da Unesp produz suas primeiras dissertações

O mês de maio marcou um momento especial para as atividades de pesquisa da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, com as defesas das três primeiras dissertações de mestrado do programa de pós-graduação em Ciência Florestal.

Aprovado pela Capes em 2006, com nível 4, o maior conceito conferido a cursos novos, o programa iniciou suas atividades em 2007. No final de 2009, a Capes deve reavaliar o programa e a expectativa da coordenação é que as dissertações defendidas colaborem para melhorar ainda mais a avaliação do programa. “O nível das dissertações de mestrado é muito bom e traz credibilidade para nosso curso”, explica o professor Iraê Amaral Guerrini, coordenador do programa. “Até agora, o balanço das atividades é muito positivo e no ano que vem teremos as primeiras teses de doutorado que devem contribuir para a consolidação do programa”.

Outras ações também colaboram para o fortalecimento do curso, como a ampliação do quadro de docentes. “Começamos com um grupo muito qualificado, porém reduzido, de professores e agora estamos ampliando esse panorama”, conta o professor Guerrini. “A área de Ciência Florestal é muito ampla e envolve temas tão diversos quanto produção de mudas, manejo de solos, colheita, transporte e secagem de madeira, tecnologias de papel e celulose. Hoje, conseguimos atender todas estas áreas”.

O crescimento do curso aconteceu sem perder de vista a qualidade. Segundo o professor Guerrini, estratégias como a aproximação com o setor produtivo para o desenvolvimento das pesquisas e a colaboração constante de pesquisadores estrangeiros ministrando palestras e disciplinas foram adotadas como metas pela coordenação do programa. “Queremos gerar pesquisas com qualidade, consistência e relevância. Já temos conseguido isso e a tendência é evoluir”.

A qualidade do Programa segue a tradição da FCA em pós-graduação. A Faculdade conta hoje com oito programas de pós-graduação, todos bem avaliados. “As unidades da Unesp de Botucatu produziram em 2008, 226 trabalhos entre dissertações de mestrado e teses de doutorado. Somente na FCA foram 60 dissertações de mestrado e 52 teses de doutorado. São números muito expressivos”, diz o diretor da Faculdade, professor Edivaldo Domingues Velini. “Estamos trabalhando para desenvolver tecnologias e mudar os ambientes de produção em praticamente todas as culturas que existem no Brasil”.

As primeiras dissertações defendidas no programa de pós-graduação em Ciência Florestal foram:

“Mastofauna Terrestre Associada à Área em Processo de Restauração na Fazenda Experimental Edgárdia, Botucatu, SP”, defendida por Beatriz Rosangela Murbach Cães, sob a orientação da professora Vera Lex Engel;

“Diversidade de Mamíferos de Médio e Grande Porte e sua Relação com o Mosaico Vegetacional na Fazenda Experimental Edgárdia, UNESP, Botucatu/SP”, defendida por Telma Regina Alves, sob a orientação da professora Vera Lex Engel;

“Estoque de Carbono em Solos sob Plantios de Eucalipto e Fragmentos de Cerrado”, defendida por Ana Maria Martins Rufino, sob a orientação do professor Iraê Amaral Guerrini.

ASSESSORIA DE IMPRENSA - Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp de Botucatu - FCA / Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais - FEPAF