julho 14, 2009

Banco de Leite do HC receberá fotos de aleitamento para exposição e publicação

Em comemoração à Semana Mundial de Aleitamento Materno, que é realizada entre os dias 3 e 7 de agosto, a Divisão Técnica de Enfermagem (DTE) do Hospital das Clínicas (HC), vinculado a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) vai promover uma exposição fotográfica sobre o tema. Mães que tiverem fotos suas amamentando seu filho poderão enviá-las ao Banco de Leite Humano do HC, localizado no campus da Unesp em Rubião Júnior. Aquela que for escolhida como a que retrata melhor o valioso ato de amamentar será publicada.

Todas as imagens recebidas, sendo uma de cada mãe, serão expostas em painéis pelo corredor principal do hospital. A intenção é divulgar a importância do aleitamento até os dois anos de vida ou mais – conforme preconizado pelo Ministério da Saúde.

Será obrigatória a assinatura de um termo de consentimento pela mãe, autorizando o uso de sua imagem e a de seu filho, tanto na exposição interna, promovida pelo HC, quanto para a publicação no Jornal Diário da Serra. As fotografias deverão ser enviadas, entre os dias 15 e 31 de julho à sede do Banco de Leite, no Hospital das Clínicas. A melhor delas será escolhida por uma comissão da qual farão parte membros do Banco de Leite, Divisão Técnica de Enfermagem, além de um representante do Diário da Serra, com apoio da Assessoria de Comunicação e Imprensa (ACI) da FMB e HC.

O slogan da campanha nacional este ano é “Amamentação, a segurança alimentar nas emergências”, focando nas famílias que vivem em situações de risco. No HC, além da exposição fotográfica, durante a semana comemorativa as enfermarias (Obstetrícia, Neonatal, Pediatria, Banco de Leite e ambulatórios de Pediatria e Obstetrícia) promoverão atividades específicas a seus públicos. Além disso, haverá uma sessão solene com a participação de autoridades do hospital e do município, que será realizada dia 14 de agosto, quando acontecerão palestras sobre o aleitamento e cuja programação será divulgada em breve.

Por que a amamentação representa “vida” em emergências?

Ninguém está “imune” a uma emergência. Elas podem acontecer em qualquer lugar do mundo. De um terremoto a um conflito, de enchente a pandemias, a história é sempre a mesma: a amamentação salva vidas. Em emergências, os bebês e as crianças pequenas são especialmente vulneráveis a desnutrição, doenças e morte.

Uma emergência é uma situação extraordinária que põe a saúde e a sobrevivência da população em risco. Garantir alimentação segura para as crianças pequenas em situações de emergência é prioridade. A falta de amamentação é responsável por 1,4 milhões de mortes de crianças menores de cinco anos no mundo.