julho 14, 2009

Educação orienta 210 mil professores sobre a gripe A H1N1

A Secretaria da Educação orientou nesta semana os 210 mil professores da rede sobre o vírus Influenza A H1N1, conhecido como gripe suína. Foi realizada uma videoconferência nas escolas na quarta-feira, 8. A capacitação foi transmitida para todo o Estado pela página da Rede do Saber na internet ( http://www.rededosaber.sp.gov.br).

A iniciativa teve como objetivo orientar os professores sobre as formas de contágio da doença, sintomas e medidas de prevenção que podem ser adotadas. O vídeo ficará disponível na página da Rede do Saber e poderá ser acessado a qualquer momento por professores que queiram tirar dúvidas a respeito do tema.
Videoconferência foi transmitida para todo Estado pela Rede do Saber na internet

As orientações foram dadas pela doutora Telma Regina Carvalhanas, do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde, em parceria com a professora Eleuza Guazzelli, do Centro de Estudos e Normas Pedagógicas da Secretaria de Estado da Educação.

Também já está disponível no site da Secretaria (http://www.educacao.sp.gov.br) um informativo elaborado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica com orientações de hábitos de higiene no ambiente escolar. "Esta é uma importante medida preventiva para toda a rede", afirma o secretário Paulo Renato Souza.

O que é Influenza H1N1?

A Influenza H1N1 é um novo subtipo viral da mesma família da gripe convencional. Sua transmissão para humanos foi detectada pela primeira vez em abril desse ano nos Estados Unidos. A disseminação do vírus por todos os continentes levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar pandemia.

Os principais sintomas da doença são tosse e febre alta, mas podem variar. O vírus pode ser transmitido de pessoa para pessoa por meio da tosse ou espirro.

Rede para atendimento

A rede de referência paulista da Secretaria da Saúde para atendimento de casos suspeitos da gripe A (H1N1) conta hoje com 18 hospitais públicos e o apoio de 13 unidades privadas de saúde.

Todas foram orientadas para identificar casos suspeitos, monitorar a circulação do vírus e atender pacientes com sintomas de doença respiratória aguda. Esses locais ficam de prontidão para identificar qualquer caso e comunicar o fato imediatamente ao Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria e colher materiais para exames.

Até o momento, o Estado de São Paulo registra 457 casos confirmados da nova gripe. No total, cinco pacientes estão internados.

Da Secretaria da Educação e da Saúde

Leia também: Botucatu registra morte por Gripe Suína (H1N1)