julho 06, 2009

Inclusão digital da FMB e HC/Unesp recebe novas turmas

O projeto de inclusão digital mantido pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e Hospital das Clínicas (HC), voltado a adolescentes da comunidade e filhos de servidores das instituições, iniciou duas novas turmas no dia 3 de julho. Serão grupos com 15 alunos cada, que receberão aulas uma vez por semana durante seis meses.

Além de aulas de informática, os adolescentes recebem orientações médicas como: malefícios das drogas, métodos anticoncepcionais, entre outros assuntos ligados ao cotidiano dos jovens. Há apoio do Serviço Social do HC, Famesp (Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar) e Unesp. O vice-diretor clínico do HC, Dr. Marcone Sobreira, também deu as boas vindas aos alunos.

Luiz Aurélio Pagani, o Lelo, coordenador do laboratório de informática dos servidores, onde são realizadas as aulas, enfatizou que o período durante o qual os adolescentes são formados pode transformar a vida deles de maneira positiva. “Vamos lutar para que vocês aproveitem ainda mais a escola de vocês e estejam preparados para disputar uma vaga no mercado de trabalho. Nosso projeto é para os jovens, mas também para as famílias”, disse aos recém-chegados.

A médica pediatra e docente do Departamento de Pediatria da FMB, professora Tamara Beres Lederer Goldberg, colocou que os adolescentes que farão parte do projeto podem se considerar privilegiados. “No Brasil, são 34 milhões de adolescentes para disputar o mercado de trabalho. Vocês terão a oportunidade de desenvolver suas habilidades e aptidões”, afirmou ela, ao dirigir-se aos alunos.

Durante a apresentação da nova turma, pais de alunos que já passaram pelo projeto deixaram seu testemunho a respeito das mudanças positivas para a vida dos adolescentes. O projeto, criado em 2003, já formou mais de 150 pessoas.

Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB e HC/Unesp