julho 12, 2009

Teste na bilheteria do Municipal atrasa espetáculo

Por Renato Fernandes

O Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci implantou recentemente um sistema de bilheteria informatizado, que disponibiliza ingressos com cadeiras numeradas. Através do sistema, é possível escolher a poltrona onde pretende assistir aos espetáculos.

O sistema foi testado na noite de quinta-feira, dia, quando foi apresentada a peça “Dorotéia e os Farsantes”, da Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos.

Segundo o administrador do Municipal, Tico Vilela, o sistema funcionou perfeitamente, garantindo agilidade na venda dos bilhetes e também facilidade no momento de conferir a arrecadação e preparar o borderaux. “Antes perdíamos quase uma hora na contagem de ingressos e conferência da arrecadação. No dia em que testamos o sistema (quinta-feira), foi automático, fechamos a bilheteria e já tínhamos esse controle em mãos”, disse Vilela.

Apesar da agilidade do sistema e da facilidade técnica, o espetáculo “Dorotéia e as Farsantes”, começou com um atraso de meia hora, provocado pela falta de conscientização do público. “O pessoal deixou para comprar o ingresso exatamente no horário em que começaria o espetáculo, Formou uma longa fila em frente ao teatro e não podíamos deixar de atender. O demorado não era a emissão do ingresso, mas a escolha dos lugares, algumas pessoas, que já conhecem o teatro, já vinham com um lugar certo para prestigiar o evento, outras deixaram para escolher na hora”, disse.

A demora irritou o administrador, ele explica que o sistema permite que o público selecione o local com antecedência e evitando fila, diferente do que ocorreu. “A bilheteria permanece aberta das 10 às 17 horas, todos os dias. Ontem (quinta-feira) o grupo teatro foi compreensível e concordou em atrasar a apresentação, mas chegará um momento em que o atrasado entrará e assistirá ao evento pela metade, ou então nem mesmo encontrará a bilheteria aberta. É necessário um pouco de disciplina, mas antecipo que com o passar do tempo e de acordo com o andamento do sistema adotaremos medidas mais severas para evitarmos complicações”, disse.

Para Robert Coelho, diretor do espetáculo “Dorotéia e os Farsantes”, o ocorrido não prejudicou o andamento da peça. Apesar de assistir, algumas pessoas da platéia irem embora antes do fim da apresentação, ele destaca que o sistema de bilheteria informatizado com poltronas numeradas estava em teste. “O ruim é que parte do público deixou para comprar seus ingressos na última hora. Mas a bilheteria estava em teste e imprevistos poderiam ocorrer”, disse.

Para valer - Vilela ressalta que a partir de agora a bilheteria informatizada entra em operação para valer e lembra que os ingressos para todas as atrações do Festival de Inverno ( que acontece entre 15 de julho e 1º de agosto) de Botucatu já podem ser retirados na bilheteria do Municipal. “Ontem (quinta-feira) uma pessoa chegou na bilheteria e pediu, além dos convites para a ‘Dorotéia’, ingressos também para todos os eventos do Festival. Já estávamos atrasado e pedi para que ele aguardasse a venda integral de todos os convites, em seguida atendi esse cidadão. Agora ele não terá mais problema, tem seu lugar reservado na casa e não enfrentará fila. Esse é o procedimento correto, a retirada antecipada, garantindo o melhor lugar e facilitando o trabalho do bilheteiro”, finaliza.