julho 15, 2009

Vigilância Epidemiológica diz que Botucatu está preparada para prováveis novos casos de Gripe Suína

Após a confirmação da morte causada pelo vírus H1N1 do comerciante botucatuense R. C. T. J., 28 anos, na sexta-feira, 10, o secretário da saúde do município, Carlos Macharelli, acompanhado da diretora da Divisão de Vigilância Epidemiológica do município, Mara Sílvia Carmello e da diretora do Grupo de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, Maria Salete Carli, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, 15, para esclarecer a população local e a imprensa sobre os procedimentos que o município irá adotar diante do caso.

O secretário apresentou relato clínico sobre o vendedor de ração. Segundo Macharelli, o paciente foi internado na madrugada de sábado, 4, no Hospital das Clínicas [HC] da Universidade Estadual Paulista [UNESP] após apresentar pioras no estado de saúde. De acordo com familiares, o rapaz retornou de Ubatuba no dia 14 de junho, onde teve contato com estrangeiros, predominantemente argentinos e chilenos.

Questionada se o município está preparado para atender uma grande demanda de pessoas enfermas, Mara Sílvia deixou claro que inúmeros monitoramentos já estão sendo feitos na cidade por meio de agentes treinados e que passarão por novos treinamentos na segunda-feira, 20, para atualização de protocolos.

Nesta época do ano a gripe comum atinge um grande número de pessoas, fazendo com que a procura pelas Unidades Básicas de Saúde aumente consideravelmente, porém todos os casos serão acompanhados por profissionais da área da saúde qualificadas e capazes de identificar a suspeita do vírus H1N1.

A esposa do comerciante está esclarecida e sendo monitorada. Ela não possui sintoma do vírus, assim como demais familiares. O casal não tinha filhos.

Da Subsecretaria Municipal de Comunicação e Informação de Botucatu