agosto 24, 2009

Médico acusado de estuprar 56 mulheres em São Paulo pede liberdade ao Supremo

Da Agência Brasil

A defesa do médico Roger Abdelmassih, 65 anos, denunciado pelo Ministério Público de São Paulo por crimes de estupro, praticados contra 56 mulheres, ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus em que pede que se dê ao cliente o direito de aguardar julgamento em liberdade.

O médico, especialista em reprodução assistida, está preso desde o dia 17 de agosto, no 40º Distrito Policial em Vila Maria, capital paulista. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz Bruno Paes Stranforini, da 16ª Vara Criminal da Capital.

Na última sexta-feira (21), Abdelmassih teve um pedido de liminar negado no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em decisão do ministro Félix Fischer. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) também negou, no dia 19 de agosto, outro pedido de liminar feito pela defesa do médico.