setembro 04, 2009

Os sete erros de Xuxa na internet

Especialista em marcas no mundo digital afirma que polêmica com celebridades no Twitter por causa de erros de comunicação pode ser evitada com alguns cuidados básicos para quem lida com a web

Se a apresentadora Xuxa Meneghel tivesse tomado alguns cuidados básicos antes de ingressar no mundo das redes sociais, poderia ter evitado os problemas de comunicação na internet nas últimas semanas, por causa de erros de Português nas postagens de sua filha Sasha no Twitter. É o que afirma o especialista em branding digital Gabriel Rossi, profissional de marketing com foco na criação e na gestão da reputação de marcas, empresas e pessoas no universo digital.


O episódio ocorreu quando sua filha Sasha, ao postar uma mensagem no Twitter na qual dizia que gravaria um filme da mãe, escreveu a palavra “sena”, com S, referindo-se à cena cinematográfica. Em pouco tempo, o universo web discutia e zombava da menina, o que enfureceu a apresentadora.

A apresentadora acaba de retomar sua empreitada na web. Gabriel Rossi listou alguns dos erros que ela cometeu e que são dicas que valem para todas as celebridades e políticos que desejam estreitar o contato com o público através das redes sociais:

1° Antes de tudo, é importante saber "ouvir" nas redes sociais: Analisando com cuidado as conversas que ocorrem na rede, seria possível conhecer a audiência e assim entrar e se manifestar nestas comunidades com relevância, arquitetando as mensagens corretas e se preparando para feedbacks - desejados ou indesejados, conhecendo as etiquetas e definindo se a ferramenta que deseja usar é adequada ou não. É o que ocorre no Twitter. Talvez o primeiro erro de Xuxa foi não estar preparada para o que poderia ouvir nesta plataforma (Twitter).

2° Responder os influenciadores: Quem são os (micro) blogueiros que mais impactam na comunidade web e que deliberadamente estão discutindo sobre o assunto? Como conversar com os mesmos? Xuxa poderia, com o auxílio de profissionais, responder de forma inteligente e planejada tudo o que foi falado a respeito.

3° Identificar os guardiões: Uma celebridade do peso de Xuxa possui diversas pessoas que conhecem sua história e se identificam com se trabalho. É hora de identificar estas pessoas que estão espalhadas nas redes sociais, criando uma espécie de embaixada digital para que estes aliados defendam e fortaleçam a reputação da apresentadora no mundo digital e fora dele.

4° Bilateralidade (O mundo mudou): Não é possível embarcar neste novo paradigma digital sem estar aberto ao diálogo. É necessário, neste caso, descer do pedestal de superstar, falando de igual para igual com a comunidade web. No final das contas, as redes sociais contribuem para um processo de humanização da sociedade em geral. Microcomunidades como as que nascem no Twitter são feitas de pequenas trocas diárias, feitas por pessoas que erram e acertam.

5° Preparar o Website (www.xuxa.globo.com) para responder e se relacionar: Esta é uma parte vital de todo o processo. Plataformas de contato mais visíveis por todo o canal, por exemplo, podem dar a oportunidade para que público de Xuxa se comunique com ela e receba feedback de diversas formas. O website precisaria se transformar em uma ferramenta mais humanizada e menos promocional. Em épocas de crise, o website da celebridade deveria funcionar como um verdadeiro canal de esclarecimento e diálogo, sem barreiras, provendo e recebendo feedback das mais variadas formas (video, FAQ, formulário entre outros).

Se alguém ouviu ou leu (onde quer que seja) que sua imagem ficou abalada e afetada, seu site (ou blog) será muito provavelmente visitado por essa pessoa, que estará em busca de mais esclarecimentos e um posicionamento sobre o rumor. Um vídeo de esclarecimento, por exemplo, seria uma boa idéia.

A posição privilegiada que websites e blogs possuem em sites de busca como Google e Yahoo!, é um dos fatores que tornam essas ferramentas tão importantes para qualquer estratégia de gestão de crise.

6° Bom senso na publicidade: O mundo offline, ou seja, o mundo real, possui uma relação simbiótica com o mundo online. Uma perspectiva mais conservadora é recomendada para que não haja mais "buzz" na internet e isso não reflita principalmente nos sites de busca.

7° Monitorar o Wikipédia, o site que funciona como uma enciclopédia pública na internet: Não é sempre possível alterá-la, porém este site serve de termômetro da mídia gerada na internet. A enciclopédia colaborativa possui muita influência, principalmente, entre os jovens. Além disso, deve se considerar o impacto que a Wikipédia terá nos sites de busca, que jogam quem procura, por exemplo, o nome “Xuxa” para este website.