setembro 04, 2009

Parque Tecnológico de Botucatu é cadastrado ao Sistema Paulista de Parques Tecnológicos

Em solenidade realizada dia 03 de setembro no Auditório da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, foi assinado o Termo de Convênio para o credenciamento provisório do Parque Tecnológico de Botucatu no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos.

Compuseram a mesa da sessão solene: professor Herman Cornelis Jacobus Voorwald, magnífico reitor da Unesp; Geraldo Alckmin, secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo; Edivaldo Domingues Velini, diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp; João Cury Neto, prefeito municipal de Botucatu; o vice-prefeito de Botucatu Antonio Luiz Caldas Junior; Reinaldo Moreira, presidente da câmara municipal de Botucatu e os deputados estaduais Bruno Covas, Milton Flávio e Pedro Tobias.

Na abertura dos trabalhos, o professor Velini fez um breve histórico sobre o processo de criação do Parque Tecnológico, incluindo a definição de seu foco de atuação. “Depois de muito debate, o tema bioprocessos foi definido como o eixo orientador dos trabalhos”.
Solenidade aconteceu nesta quinta-feira, na FCA. Iniciativa é uma parceria entre Unesp, governo estadual e município

Segundo a definição do professor Velini, bioprocessos são os procedimentos tecnológicos que utilizam sistemas biológicos, organismos vivos e seus componentes e derivados para produzir ou modificar produtos ou processos para um determinado uso. “Existe uma infinidade de aplicações para os bioprocessos, tais como produção de vacinas, medicamentos, biocombustíveis, alimentos e até recuperação ambiental. Todos os centros de pesquisa e tecnologia de Botucatu guardam relações com esse tema”.

Outros tipos de atividades devem ser desenvolvidas no Parque Tecnológico de Botucatu, como enumerou o professor Velini. Dentre elas estão produtos naturais da fauna e flora; políticas públicas; serviços ambientais e, principalmente, tecnologias sociais. “Essa é uma vocação, não da FCA, mas de toda a Unesp, que consiste em transformar ciência e tecnologia em ações sociais que gerem benefícios para toda a sociedade”.

O deputado estadual Bruno Covas ressaltou os benefícios da instalação do Parque Tecnológico para Botucatu e região. “Esse investimento em ciência e tecnologia vai gerar emprego e renda para a população e oportunidades para os jovens e as empresas regionais”, afirmou. “O Parque Tecnológico vai oferecer a alternativa que faltava em Botucatu para que os egressos das nossas universidades possam exercer sua competência em benefício da região”, complementou o deputado Milton Flavio.

Na sequência, o magnífico reitor da Unesp professor Herman Jacobus Cornelis Voorwald discursou destacando a parceria pública tripartite entre universidade, governo estadual e município. “A união do poder público com a competência intelectual da universidade tem tudo para ser bem sucedida”, disse. “Principalmente pela qualidade das unidades que compõem o câmpus da Unesp em Botucatu, notadamente a Faculdade de Ciências Agronômicas que integra a área de ciências agrárias da Unesp, certamente a mais pujante no país”.

O prefeito municipal de Botucatu João Cury Neto também salientou a importância da parceria institucional. “Precisamos aproveitar a capacidade intelectual que temos no nosso município, através das pesquisas desenvolvidas na universidade, para melhorarmos a vida das pessoas. Transformar ciência em produtos e negócios que vão gerar empregos e renda para a população. Através de ações como esta, a universidade faz o seu gesto na direção de atender as necessidades de desenvolvimento de Botucatu e região”.

Em seguida, foi assinado pelo reitor da Unesp, o prefeito municipal de Botucatu e o secretário estadual do Desenvolvimento o Termo de Convênio para o credenciamento provisório do Parque Tecnológico de Botucatu no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos.

O texto do documento dispõe que a Prefeitura Municipal de Botucatu “se compromete a envidar esforços na sua área de atuação para tornar realidade o citado empreendimento”. Segundo o mesmo Termo, a Unesp “se dispõe a se empenhar para o sucesso do citado empreendimento por meio da capacitação e formação de recursos humanos para atendimento das demandas decorrentes do Parque e da realização de pesquisas e geração de conhecimentos aplicáveis às atividades produtivas”.

No encerramento da cerimônia, o secretário do Desenvolvimento do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin fez uso da palavra e também saudou a união dos diversos atores sociais envolvidos na constituição do Parque Tecnológico. “O Parque Tecnológico vai integrar os empreendedores, a iniciativa privada a um centro de pesquisa e formação como a Unesp, universidade pública, gratuita e parceira do povo de São Paulo. A cidade de Botucatu dá um grande passo ao conseguir unir tudo isso. Agora cabe ao governo local coordenar esse processo e garantir condições para que a iniciativa prospere”.

A ciência e a tecnologia como fatores fundamentais para o desenvolvimento do país também foram destaques na fala do secretário. “Esse é o caminho ideal para o país crescer, com melhoria de renda e geração de empregos. Será a tecnologia que fará a diferença para que o Brasil consiga vencer os desafios que o futuro nos apresenta”.

A solenidade também contou com a presença do professor Julio César Durigan vice-reitor da Unesp; do professor José Matheus Yalenti Perosa, vice-diretor da Unesp; professor Iraê Amaral Guerrini, diretor-presidente da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais; Ricardo Antonio de Arruda Veiga, secretário municipal do Desenvolvimento Econômico e professor emérito da Faculdade de Ciências Agronômicas, além de diversos prefeitos, vereadores e secretários de municípios da região de Botucatu.

Após a cerimônia, os presentes participaram de um coquetel na sede da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf).

Parque Tecnológico
O Parque Tecnológico de Botucatu será implantado em duas áreas paralelas, que somam 286 mil m² – equivalentes a 34,6 campos de futebol com as mesmas dimensões do Maracanã. O empreendimento terá como objetivo principal incentivar e promover o desenvolvimento socioeconômico sustentável da região, por meio do fomento à inovação tecnológica em bioprocessos, serviços ambientais, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logística.

As áreas ficam localizadas à margem da Rodovia Gastão Dal Farra, a 3 km da Rodovia João Hipólyto Martins [SP-209] – que liga a Rodovia Castelo Branco a Botucatu. Os locais estão estrategicamente posicionados nas proximidades da Faculdade de Tecnologia [Fatec], do aeroporto municipal, da Empresa Brasileira de Aeronáutica [Embraer], do Centro de Treinamento da Prefeitura e da Estância Demétria.

Dentro do plano, está prevista a implantação de um condomínio industrial para empresas de base tecnológica, além de auditório, praça de alimentação, laboratórios, estacionamentos, biblioteca, incubadora de empresa, e centros de ensino, pesquisa, e difusão de indústrias de base tecnológica.

ASSESSORIA DE IMPRENSA - Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp de Botucatu - FCAFundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais - FEPAF