outubro 23, 2009

"Aventureiros do Túnel" realiza caminhada no domingo

Por Renato Fernandes

Desvendar a história e conhecer a estrutura dos dois túneis, construídos entre 1945 e 1952, pela Estrada de Ferro Sorocabana, em Botucatu, essa é a proposta do recém-formado grupo “Aventureiros do Túnel, que tem, como principal idealizador, o aposentado da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), Antônio Carlos dos Santos.

Para atingir esse objetivo, Santos tem reunido fotografias que mostram o processo de construção dos túneis e convidado amigos para participarem de passeios, de aproximadamente 4 quilômetros, entre a antiga Estação de Embarque de passageiros da extinta Fepasa e o 1º túnel, localizado sobre a Estrada Vicinal Alcides Ferrari.

“O grupo ainda está começando, mas já fizemos alguns passeios. O próximo será no domingo (25), convidamos os interessados a estarem com a gente às 8 horas, na estação, de onde partiremos rumo ao túnel”, convida.

Para participar da caminhada é necessário levar uma lanterna, roupas apropriadas e água. “Qualquer pessoa pode participar, de criança a idoso, não existe restrições e perigos”, esclarece.

Segundo Santos, o itinerário é desenvolvido em aproximadamente 4 horas. “Saímos às 8 e retornamos antes do meio-dia. Ainda dá tempo para almoçar em casa, com a família’, esclarece.

A ideia de desenvolver as caminhadas na beira dos trilhos nasceu durante conversas com ferroviários que participaram da construção dos túneis. “Tudo começou com a dúvida quanto à extensão dos túneis, alguns ferroviários diziam 800 metros, outros 600 metros. Decidir ir até o local para tirar a dúvida e descobri que o túnel mais próxima da estação tem, 800 metros”, esclarece.

A aventura despertou a curiosidade do aposentado, que passou a se perguntar como a obra foi executada. Em busca de respostas ele procurou outros ferroviários envolvidos na construção e vem pesquisando junto ao Centro Cultural de Botucatu (CCB) registros na imprensa da época. “Assim como eu, acredito que existam muitos botucatuenses que não fazem nem ideia da existência dos túneis, e que tenha outra porção deles, que até conhecem, mas não sabem como foram construídos”, diz.

O grupo já desenvolveu três excursões ao túnel. “Poucas pessoas participaram dos passeios anteriores. Os convites foram fechados, estávamos vendo o percurso fazendo medições e analisando o trecho, agora, com o convite público, aguardo a participação de ferroviários, adultos e adolescentes, que queiram passar uma manhã de domingo diferente”, convida.

Interessados em conhecer melhor o projeto, devem procurar informações no Centro Cultural de Botucatu, na Praça XV de novembro, nº 30.


Grupo de mulheres que ajudaram os operários na construção do túnel