outubro 07, 2009

Estudantes de agronegócio aprendem noções de associativismo

A princípio, a cena de um grupo de estudantes amarrados uns aos outros pelos tornozelos pode parecer uma simples brincadeira. No entanto, trata-se de uma das atividades desenvolvidas, no último dia 5, no curso “Juntos Somos Fortes – Agro” por 40 jovens do primeiro semestre do curso de Tecnologia e Gestão em Agronegócio da Faculdade de Tecnologia de Botucatu (Fatec). O objetivo é ensiná-los a ter relacionamento em grupo e buscar soluções para problemas comuns por meio do associativismo.

“A metodologia do Sebrae faz a ligação da teoria da apostila com vídeos que mostram histórias reais. Juntos, desenvolvem atitude, habilidade e competência para trabalhar a gestão no agronegócio”, comenta o facilitador do Sebrae-SP, Marcelo dos Santos Moreira.

Os alunos discutem alternativas de fortalecimento dos pequenos produtores rurais para obter maior demanda de mercado por meio de associações e cooperativas, tendo um desafio pela frente: quebrar o paradigma da produção individual, aprendendo a dividir despesas e lucros e procurar capacitação. No curso, também é abordado o aspecto de que esses produtores devem buscar acesso à tecnologia, redução de custos, maior produtividade e qualidade, diante de um mercado competitivo e de consumidores mais exigentes com a alimentação.

O casal Anete dos Santos Jordão e Agnaldo Bento Jordão moram em um sítio, no município de Bofete, a 40 Km de Botucatu. A proximidade com a zona rural incentivou-os a optar pelo curso voltado ao agronegócio, que começou em agosto de 2009. Agnaldo é motorista e a esposa, Anete, trabalha com encomenda de bolos e doces, mas ambos decidiram investir em um campo bastante abrangente e promissor. “A gente lida com plantações de mandioca, banana e pequena produção de leite, mas ao final do curso, nosso objetivo é ter o próprio negócio e trabalhar na área”, diz Agnaldo.

O aposentado Arnaldo Correa é outro estudante do curso e se denomina como “pessoa da roça”, que conhece a força do agronegócio. Ele acredita que o curso “Juntos Somos Fortes – Agro” dá noções de aplicar o cooperativismo não apenas restrito ao produtor rural, mas também entre os próprios colegas, que estão começando a se conhecer. “Para mim, a palavra cooperativismo significa fortalecer para vencer obstáculos; estamos aprendendo muito com este curso, que desenvolve uma técnica de ensino diferenciado e interativo”, explica Arnaldo.

Para o professor da disciplina de Introdução ao Agronegócio e Fatores de Produção Agropecuária da Fatec de Botucatu, Caio Antonio Carbonari, é importante o aprendizado e envolvimento desde cedo com a ideia de associativismo. “Apesar de ter essa disciplina na carga horária do curso de Agro, os alunos já podem se deparar com histórias reais de cooperativismo, por meio de uma didática interessante apresentada pelo Sebrae, que tem muita experiência no assunto”, destaca o professor.

Mais informações: Escritório Regional do Sebrae-SP em Botucatu (14) 3815 9020 ou na Fatec de Botucatu (14) 3814 3004.