outubro 20, 2009

Prédio da Estação Ferroviária de Bauru é declarado como utilidade pública

Em clima de muita emoção e nostalgia, o prefeito Rodrigo Agostinho assinou, no último sábado (17), o decreto que declara de utilidade pública para fins de desapropriação o prédio central da estação ferroviária de Bauru. O documento dá início ao processo de formalização da compra do prédio pelo Município para a instalação da Câmara e Prefeitura Municipal, a partir de 2010.

Estiveram presentes ao evento, os secretários municipais do Desenvolvimento, Nico Mondeli, de Finanças, Marcos Garcia, da Educação, Majô Jandreice, de Esportes e Lazer, José Carlos Batata, do Planejamento, Rodrigo Said, da Cultura, Pedro Romualdo e da Agricultura, Zito Garcia. A Câmara Municipal esteve representada por 13 dos 16 vereadores: o presidente, vereador Luiz Carlos Barbosa, Fabiano Mariano, Carlão do Gás, José Roberto Martins Segalla, Fernando Mantovani, Moisés Rossi, Giba dos Santos, Roque Ferreira, Carlinhos do PS, Amarildo de Oliveira, Natalino da Silva, Renato Purini e Roberval Sakai.

O ato de assinatura aconteceu exatamente às 11h55, no pátio do prédio, durante solenidade de abertura do 2º Encontro Histórico Ferroviário e de Ferromodelismo de Bauru/Sp/Brasil. O prefeito Rodrigo Agostinho qualificou o ato como um resgate da história do Município. “Esse é um dia histórico para a cidade de Bauru, que começou a desenvolver-se com a vinda da ferrovia. Quero agradecer ao presidente do Legislativo, Pastor Luiz Barbosa, que vai nos ajudar a viabilizar isso. A assinatura deste decreto é uma forma de saldarmos uma grande dívida com a sociedade”, afirmou o prefeito.

A Estação Ferroviária começou a operar em 1939 para abrigar os antigos escritórios da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB), Estrada de Ferro Sorocabana e Companhia Paulista de estrada de Ferro, além de todos os embarques e desembarques das três ferrovias. A Caixa Econômica Federal (CEF) avaliou o prédio no valor de R$ 6,3 milhões e a proposta do prefeito é de parcelamento desse valor para ser quitado dentro da atual administração, até 2012. A Câmara Municipal também concordou em destinar à compra do prédio da estação o valor que seria utilizado para a construção de um novo prédio para o Legislativo.

Depois dos discursos das autoridades, momentos de silêncio antecederam a entrada triunfal da locomotiva 278, a velha Maria Fumaça que, depois de muitos anos, passou novamente pelos trilhos da estação ferroviária. A emoção tomou conta de todos, principalmente dos mais velhos, que ainda guardam na lembrança o auge da ferrovia em Bauru.