novembro 23, 2009

Carol Gabardo preencheu a primeira ficha de inscrição do Supermodel, em Botucatu

Por Renato Fernandes

Carolina Ananda Alves Gabardo, ou Carol Gabardo,  tem apenas 15 anos e se tornou a nova promessa de Malu Ornelas para o mercado Nacional da Moda, após ser selecionada entre as 15 finalistas da fase nacional do concurso “Supermodel Brasil 2009”. “Ela foi a primeira candidata a se inscrever em Botucatu. Cheguei até a comentar que isso daria sorte para ambas”, diz Ornelas.


Carol tem 15 anos, 1,73 metro altura, 89 centímetros de quadril e a mesma medida de busto. O sonho de conquistar as passarelas e de assumir a profissão de modelo surgiu ainda na infância. Aos 11 anos, foi levada até a agência de Malu Ornellas. “Naquela época eu ainda não tinha os padrões necessários para a profissão”, revela Carol.


Após essa tentativa, o sonho ficou adormecido, e foi despertado há cerca de dois meses, quando uma amiga em comum, conhecida pelo apelido “Branca”, indicou Carol à agência. “A Branca trabalhou um tempo na agência e agora tem um bar no bairro onde a Carol mora (Monte Mor). Ela me ligou e falou que conheceu uma garota com os padrões necessários para a profissão”, relata Ornelas.

Ao receber a indicada em sua agência, Ornelas percebeu o potencial que tinha em mãos e começou a trabalhar para lapidar o talento. “Ela nasceu para a profissão, não tenho dúvidas. Em dois meses já está em outdoors pela cidade e trabalhando em campanhas. Agora conseguiu ser selecionada para a final de um concurso que teve mais de 800 mil inscritos”, comenta a agenciadora.

Coincidentemente, Carol estuda na Escola Municipal do Jardim  Flamboyant,  a mesma onde estudou a top model Camila Finn, outra descoberta de Malu Ornelas, que disputou o concurso e conquistou o primeiro lugar, em 2004. “Assim que a notícia chegou na escola, todos comemoraram e me parabenizaram, quiseram tirar fotos e me conhecer melhor”, comenta a  modelo.

A possibilidade de uma carreira no mercado da moda pegou de surpresa a família. “Não imaginava o sucesso tão rápido. Irei para o concurso e tentarei a carreira. Espero que tudo dê certo e que eu possa  continuar na Ford Models”, coloca Carol.

Para a mãe de Carol Gabardo, Cleide Vieira Alves “a ficha ainda não caiu”. Separada do marido há cerca de sete anos e residindo em um dos bairros mais carentes do Município, mãe e filha sonham com uma situação melhor. “A vida não é fácil. Todos trabalham muito e tem atividades bastante atribulada”, coloca Cleide.

Após conquistar o sonho das passarelas, Carol acrescenta outras prioridades. “Quero dar uma vida melhor à minha mãe e  irmãos”, finaliza.