novembro 03, 2009

Concurso premiará as melhroes decorações natalinas de Botucatu

Por Renato Fernandes

Prefeitura Municipal de Botucatu, em parceria com a união ACE / CDL (Associação comercial e Empresarial de Botucatu / Câmara de Dirigentes Lojistas), Sincovab (Sindicato do Comércio Varejista, Ciesp e Fiesp, desenvolverá este ano um concurso de decoração natalina, que premiará as fachadas que se destacarem nos quesito: criatividade, beleza, originalidade e harmonia.

Segundo o secretário do Prefeito, Marcos Aparício Cordeiro a intenção é resgatar o espírito natalino proporcionado pelas luzes e cores. “Como no corredores comerciais serão utilizadas as mesmas peças decorativas do ano passado, tomamos a decisão de incentivar a decoração dos ambientes externos e fachadas. A ideia é envolver indústria, comércio, empresas de serviço e residências”, explica.

A intenção, é contar com a parceria do comércio para premiar os vencedores. A solenidade deverá ocorrer no Largo da Catedral, local onde a Prefeitura estuda instalar um espaço voltado parta a apresentação artística e cultural.
O período de inscrições deverá ser aberto na segunda quinzena de novembro. O julgamento e a premiação devem acontecer até o dia 20 de dezembro.

“A idéia é criar um sistema de inscrição simples, envolvendo os parceiros, ou seja: o interessado poderá procurar pelas fichas na Subsecretaria Municipal de Turismo, Secretaria de Descentralização e Participação Comunitária, no site da Prefeitura Municipal (www.botucatu.sp.gov.br), além de outros pontos e formas que ainda estamos estudando”, coloca.

Sem burocracias, no ato da inscrição o participante deverá informar apenas o nome e o endereço. “Caso o seu imóvel venha a ser vencedor, pediremos ao concorrente que prove os vínculos que mantém com o endereço. Todos os imóveis serão catalogados através de fotografias, material que poderá ser exposto posteriormente e também servir de consulta para os jurados”.

Na década de 1990, Botucatu se mobilizava em concursos de decoração natalinas. Aparício se lembra deste período e ressalta que o hábito de aplicar luzes nas áreas externas do imóveis foi inibido devido a crise energética, que ficou conhecida como  ‘apagão’. “Quando começamos a discutir o tema natal, não podemos deixar de lado o resgate da tradição e do clima natalino. É isso que estamos fazendo ao promover esse concurso e levar para a praça uma estrutura previamente desenvolvida, com  palco, iluminação, e condições técnicas para vários tipos de apresentações. A ideia é favorecer a família com o seu envolvimento direto no Natal da Cidade. Vamos trazer as pessoas, para o espírito de natal. O concurso é apenas um incentivo.  Queremos resgatar essa tradição que ficou ofuscada pelo apagão”.