novembro 27, 2009

Dermatologia da FMB/Unesp promove campanha de combate ao câncer de pele no CSE

O objetivo é conscientizar a população sobre os meios capazes de impedir o surgimento da doença que atinge, a cada ano, aproximadamente 120 mil brasileiros

A Sociedade Brasileira de Dermatologia realiza, dia 5 de dezembro, pelo 11º ano consecutivo, a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele. Em Botucatu, como nas edições anteriores, os exames serão realizados no Centro de Saúde Escola, das 9 às 15 horas, sob a coordenação de dermatologistas da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB).

O objetivo é conscientizar a população sobre os meios capazes de impedir o surgimento da doença que atinge, a cada ano, aproximadamente 120 mil brasileiros. O Câncer da pele é o câncer de maior incidência no Brasil, segundo estatística do Instituto Nacional do Câncer.

Durante a Campanha, serão realizados exames de pele gratuitos visando a intensificar o diagnóstico e o tratamento dos casos. Segundo o dermatologista e vice-chefe do Departamento na FMB, professor Hamilton Stolf, que coordena a campanha em Botucatu, também serão examinadas pessoas com dúvidas sobre pintas em crescimento ou feridas sangrantes.

Professor Stolf explica que o tipo de cancer de pele mais  comum chama-se carcinoma  basocelular (CBC). “É a mais comum das neoplasias malignas e junto com o carcinoma  espinocelular (CEC) compõe o grupo dos cânceres cutâneos chamados de
não melanoma (CCNM)”, comenta.

Campanha de 2006 - Na campanha do ano passado foram atendidas 41.751 pessoas em todo o País e 9,5% apresentaram a doença. Segundo as pesquisas, o câncer da pele atinge mais os homens do as mulheres, mas esse ano foi constatado que a doença vem crescendo no universo feminino. Das 26.065 mulheres examinadas, 5,02% apresentaram o câncer da pele. Nas campanhas anteriores, a proporção da doença foi de 6,0%.

Em Botucatu – Durante as consultas realizadas em 2008, no Centro de Saúde Escola, foram atendidos 635 pacientes e agendadas 39 cirurgias por diagnóstico clínico confirmado ou suspeito de câncer da pele (6,14% dos pacientes atendidos).

Como se proteger - O câncer geralmente ocorre em pessoas cuja pele foi castigada pelo sol. Reconhecê-lo pode não ser muito fácil, já que se manifesta de maneiras diferentes: os sinais mais comuns são mudanças na pele aparentemente inocentes, como uma ferida que não sara ou uma pequena lesão endurecida, brilhante ou avermelhada.

Os homens têm maior incidência no tronco, na cabeça ou no pescoço, enquanto que as mulheres geralmente a apresentam nos braços e nas pernas. É importante destacar que nem todas essas alterações são sinais certos de câncer; entretanto, em caso de dúvida, é sempre recomendável consultar um dermatologista.

Para evitar o câncer da pele, os especialistas aconselham: utilizar chapéus/bonés e óculos escuros, evitar o sol entre 10 e 16 horas (horário de verão) e abusar dos filtros solares.

Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB e HC/Unesp (com informações da Sociedade Brasileira de Dermatologia)



Empregos Manager Online