novembro 04, 2009

Escolas de Botucatu implatarão 15 minutos diários de leitura

Por Renato Fernandes

urante 15 dias a cidade de Botucatu desenvolveu atividades para promover o livro e a leitura, através da “Semana do Livro e da Biblioteca”. Para o secretário Municipal de Educação, Narciso Minetto Júnior, o período foi importante para estreitar relações entre a Unesp, Secretaria Municipal de Educação e Biblioteca Municipal Emílio Peduti, firmando parcerias que devem nortear projetos que transformará Botucatu em uma cidade de Leitores.

“Este é o primeiro passo para estabelecer parcerias e arranjos. A partir de agora seguimos em direção da consolidação do programa de incentivo à leitura nas escolas”, diz o secretário.

Para a diretora a biblioteca da Unesp, Enilze de Souza Nogueira Volpato, o período foi produtivo e marcado pela mobilização de diferentes setores da comunidade em prol da leitura. “O objetivo de divulgar a leitura e promover ações de incentivo foram cumpridos. Atingimos as expectativas. Os convênios foram estabelecidos e a adesão o poder público foi ótima. Acredito que o Poder Público já tivesse interesse em desenvolver ações nesse sentido, e agora, com a parceria da Unesp encontrou material humano e apoio técnico. Podemos dizer que temos um projeto viabilizado”, ressalta.

O encerramento das atividades ocorreu na noite de sexta-feira, em solenidade realizada na Secretaria de Educação. Na ocasião foi realizado o workshop de Incentivo à Leitura, com a professora Vera Ravagnani. “É com grande satisfação que presencio a concretização de uma luta de 20 anos, com o apoio do Poder Público e temperado com a paixão de pessoas que acreditam que a leitura pode transformar a vida. Para mim é um momento de comemoração. Finalmente está sendo formada uma rede que pode mudar os índices de leitura na cidade”, diz Ravagnani.

As ações que tornam a parceria com entre universidade e Poder Público fundamental seguem duas frentes: a integração das bibliotecas municipais e escolares através do projeto Sibot - Sistema Integrado de Bibliotecas e na criação da Lei de da Biblioteca e do Livro.

Iniciativas que encontram suporte e apoio nas bibliotecárias Darcila Bozzoni, da Secretaria Municipal de Educação e Enilze Volpato, da Unesp. “A palavra de ordem durante todo este período de atividades foi parceria. Estreitamos o relacionamento e buscamos, com isso, tornar Botucatu em uma cidade de leitores. A primeira iniciativa é o projeto que institui 15 minutos de leitura diária, em todas as escolas da rede municipal. Pausa essa, que tentaremos levar, também, para empresas e outros segmentos da cidade”, anuncia.

Minetto aponta outra vertente importante para a consolidação dos objetivos. “O projeto de integração da rede de bibliotecas representa a aproximação do livro nas comunidades. Daremos oportunidade ao cidadão de usufruir das bibliotecas, um bem público e que está a serviço da municipalidade. Os trabalhos que estamos desenvolvendo são para que as obras literárias e educacionais se tornam acessíveis e constantes na vida das pessoas”, argumenta.

O secretário também acredita que a iniciativa que institui minutos de leitura nas escolas pode mudar uma geração. “Agora iremos trabalhar com os coordenadores e diretores, até chegarmos nos professores. Com base nisso analisaremos o foco e os títulos importantes para fase e idade. Com certeza teremos uma geração querendo ler, e Amando os livros, Daremos suporte aos professores para a melhor formação do cidadão”, diz.

Se depender do secretário o projeto terá início rapidamente. “Por mim já tinha começado ontem”.

O encerramento foi feito pelo Coral da Escola Aitiara