novembro 18, 2009

HC da Unesp Botucatu modifica sistema de agendamento de exames, consultas e procedimentos

A superintendência do Hospital das Clínicas (HC), vinculado à Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), tem implantado nos últimos meses, uma série de medidas para facilitar e reduzir o tempo de espera para o agendamento de exames em seus serviços de especialidades. A principal modificação é a possibilidade de o agendamento ser realizado através da UBS (Unidade Básica de Saúde) próxima à residência do paciente.

Com a medida, não será mais necessária a presença da pessoa para agendar os exames, consultas ou procedimentos. Um aviso do hospital tem sido encaminhado às Secretarias de Saúde dos 62 municípios que compõem o Departamento Regional de Saúde de Bauru (DRS-6).

O hospital, pelo novo sistema, não receberá mais pedidos de agendamentos trazidos por motoristas outros funcionários das Secretarias de Saúde e que não estejam de acordo com as orientações passadas aos municípios. Cada pedido de agendamento deverá estar identificado com o município e sua respectiva UBS, responsável pelo envio da solicitação, nomes e RG dos funcionários que encaminham o pedido e a pessoa a ser contatada na respectiva secretaria.

Dentro de cada envelope os pedidos devem estar devidamente identificados por paciente. Para efeito de controle deverá ser elaborada uma lista com o nome dos solicitantes e exames pedidos. A mesma será conferida e devolvida posteriormente como confirmação de recebimento.

Tal modificação visa reduzir o tempo de espera e as filas de pacientes durante o período de agendamento de exames, consultas e procedimentos, conforme explica o superintendente do HC, Emílio Carlos Curcelli. “Para evitar os antigos transtornos a nossos pacientes e dar maior agilidade aos atendimentos, o HC deve unificar todo seu sistema de agendamento. A previsão é de que até meados de 2010 todas as mudanças estejam de acordo com a proposta da superintendência”, declarou.

Outra medida foi a implantação, dia 17 de novembro, de uma Central de Agendamentos, setor que deverá canalizar todas as requisições de consultas, exames e procedimentos no Hospital das Clínicas. A proposta é de que no novo local, o usuário não espere mais do que 30 minutos para ter os exame ou consulta agendados. Todo o atendimento acontece através de senhas. Idosos e gestantes terão guichês específico. As instalações contam com banheiro exclusivo e futuramente um elevador para acesso a portadores de necessidades especiais deve ser colocado em operação.

Através da mudança, os pacientes não precisarão mais se deslocarem a diversos pontos do hospital e em datas específicas para marcarem suas consultas. Atualmente o Hospital das Clínicas conta com 54 pontos de agendamento em suas dependências, cada um seguindo uma especialidade. A intenção da superintendência é de que este total seja reduzido a apenas dois locais (a nova Central de Agendamento e um posto nos blocos ambulatoriais instalados no Instituto de Biociências).

“A ideia é montarmos uma estrutura gerencial que vai proporcionar maior controle no agendamento e possibilitará saber o tempo de espera que cada paciente terá em uma determinada especialidade que se utilize”, explicou Ilda de Godoy, responsável pela coordenação da Central de Agendamentos. Ela ressalta que os servidores designados para a Central de Agendamentos integram o programa de readaptação funcional e passaram por treinamento específico para esta atividade.

Maior unidade hospitalar da região vinculada ao SUS (Sistema Único de Saúde), o Hospital das Clínicas atende a uma população estimada em 1,5 milhão de pessoas. A unidade conta com 415 leitos e 52 de UTI (30 adultos, 15 neonatal e 7 pediátricos), 194 consultórios médicos e 31 salas especializadas realiza, em média, 2 milhões de exames, 600 mil consultas, 20 mil internações e 11 mil cirurgias por ano.

O HC ainda registrou até outubro, 209 mil consultas em seus ambulatórios, 24 mil consultas na triagem médica, 5.800 cirurgias, 2.350 cirurgias ambulatoriais e 16.100 internações. Há 1.900 servidores técnico-administrativos, 340 residentes, 180 médicos, 260 docentes e 82 aprimorandos atuando nas dependências do hospital.