novembro 25, 2009

Time de vôlei do Sesi-SP joga nesta sexta-feira em Botucatu

Amistoso contra o Vôlei Futuro, de Araçatuba, será realizado no Ginásio Municipal de Esportes do município, às 18h. Entrada franca

Nesta sexta-feira, às 18h, o time de vôlei do Sesi-SP participa de amistoso com o Vôlei Futuro de Araçatuba. O jogo será realizado no Ginásio Municipal de Esportes e faz parte dos preparativos para a Superliga 2009/10, prevista para começar dia 3 de dezembro.

Em seis meses de formação, a equipe da indústria paulista consagrou-se como uma das mais competitivas da modalidade no País, conquistando dois importantes títulos: a Copa São Paulo e o Super Paulistão, que reuniu as oito principais equipes do estado.

Mesclando jovens talentos e atletas consagrados, a exemplo de Murilo e Sidão - repatriados pelo Sesi-SP após várias conquistas internacionais -, o time comandado por Giovane Gávio vem treinando forte para ampliar a galeria de títulos, mas sabe que a disputa nas quadras não será fácil. “Em seus 16 anos de existência, a Superliga nunca teve tanto investimento”, afirmou Gávio. “Atualmente, há oito ou nove equipes muito competitivas, que prometem grandes emoções para suas torcidas”, completou o treinador.

Projeto vitorioso

O time de vôlei masculino do Sesi-SP foi criado em maio deste ano e integra a estratégia de reforçar os valores do esporte entre os estudantes da rede escolar da entidade e os alunos do programa Sesi Atleta do Futuro. Nesse sentido, a equipe é um modelo para que as 120 mil crianças do Ensino Fundamental da rede pratiquem o esporte gratuitamente.

Os talentos ou aqueles que mostrarem aptidão em uma determinada modalidade receberão acompanhamento e treinamento especial com direito a técnico, nutricionista e preparador físico.

Segundo Paulo Skaf, presidente da Fiesp / Ciesp, atualmente o esporte tem cerca de mil adeptos na rede escolar, mas a meta da entidade é expandir para 10 mil praticantes no próximo ano. “Nossa premissa é oferecer oportunidades a todos, seja na educação básica ou na prática esportiva, pois somente desta maneira conseguiremos transformar o País.”

O investimento de R$ 5 milhões no vôlei de rendimento também pretende formar novos talento e levar a força da indústria paulista para as competições nacionais e internacionais.

O time é composto por 18 atletas, incluindo jovens revelações e jogadores consagrados, e tem como base o Sesi Vila Leopoldina, na capital paulista.

Mais rendimento


A área de Esporte de Formação e Rendimento do Sesi-SP foi criada em 2008. Seu objetivo é resgatar os valores intrínsecos do esporte, como superação, trabalho em equipe, disciplina respeito ao próximo, socialização e ética, e democratizar o acesso a diferentes modalidades esportivas, criando a cultura da formação de atletas de alto desempenho.

A iniciativa de estréia deste projeto foi a formação da Equipe de Polo Aquático, com jovens entre 12 e 15 anos, selecionados nas escolas da rede em todo o estado e entre praticantes de clubes com tradição nesse esporte.

Paralelamente, a entidade passou a ministrar aulas da modalidade, a custos bem populares, para crianças e adolescentes, entre 7 e 17 anos. Atualmente, o Sesi-SP mantém 42 piscinas semiolímpicas aquecidas, sendo considerado o maior espelho de água do Brasil.

O resultado dessas ações foi a conquista de vários títulos nacionais, entre eles o Campeonato Brasileiro Juvenil 2008 e o bicampeonato da Taça Brasil juvenil 2008/2009, e a disseminação do polo aquático nas escolas do Sesi-SP, contabilizando, atualmente, 300 praticantes.

Em abril de 2009, a instituição ampliou sua atuação na área, levando o conceito de rendimento para outras oito modalidades: natação, polo aquático, nado sincronizado, atletismo, vôlei paraolímpico, tênis adaptado, futsal feminino, judô e luta olímpica.

No momento, a entidade mantém 300 atletas, todos eles filiados em nome do Sesi-SP nas associações que representam suas respectivas modalidades. Esse conjunto de novos talentos conta com toda a infraestrutura necessária para seu desenvolvimento e aperfeiçoamento, incluindo o acompanhamento técnico, preparação física, avaliação de saúde e ajuda de custo.

Por Rosângela Gallardo