dezembro 10, 2009

Leilão para garantir energia por mais cinco anos vai ocorrer em 2010

Da Agência Brasil

O leilão de energia elétrica A-5 deve ocorrer ainda no primeiro semestre de 2010, segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim. A concorrência servirá para preparar a produção energética do país para os próximos cinco anos, conforme a demanda estimada pelas distribuidoras de energia.

De acordo com Tolmasquim, o governo preferiu aguardar a concessão de licenças ambientas para incluir na licitação algumas hidrelétricas, além das usinas térmicas que já estavam previstas. “O ano de 2009 terá crescimento negativo no consumo de energia, por causa da crise. A queda será de 0,5%, o que nos dá uma folga”, explicou o presidente da EPE. Com isso, as usinas de Teles Pires, no Mato Grosso, Santo Antônio do Jari, na fronteira entre o Amapá e o Pará, e Garibaldi, em Santa Catarina, são algumas das que devem entrar no leilão. Segundo ele, o ideal é sempre contar com usinas hídricas nos leilões mistos, mas nem sempre é possível fazer isso, em função do tempo para liberação de licenças ambientais.

O presidente da EPE deu as declarações após audiência pública na Comissão de Infraestrutura do Senado, onde esteve para falar sobre o blecaute do último dia 10 de novembro. Ele explicou que não faz sentido comparar o que houve naquele dia com a falta de energia de 2001 e 2002, quando o Brasil precisou racionar energia.

De acordo com ele, ao contrário do que ocorreu há 7 anos, quando o país perdeu alguns pontos percentuais no Produto Interno Bruto por causa do corte de 20% de energia, o custo dessa vez foi “irrisório”. “É praticamente irrisório porque aconteceu à noite, quando você quase não tem atividade de comércio ou indústria. É outra ordem de grandeza”, afirmou Tolmasquim. Contudo, ele não quis quantificar exatamente quanto foram as perdas financeiras com o blecaute que deixou 18 estados energia.



Empregos Manager Online