janeiro 15, 2010

Marília zera a fila para transplante de côrneas

O número de doações de órgãos em Marília em 2009 (até 28 de dezembro) cresceu 33,3%. Foram 12 novas doações de múltiplos órgãos este ano, três a mais que em 2008. A quantidade de doações de córneas também aumentou de 234 para 266 (13,6% a mais em relação ao ano anterior).

Este foi o ano com o maior número de procedimentos desde o início das atividades do Banco de Olhos, em 1999. "Zeramos a fila de espera por transplantes de córneas e batemos o recorde no que diz respeito a captações. Isso se deve ao grande trabalho desenvolvido pelos funcionários do hospital", diz a enfermeira da Central de Captação de Doadores do HC (Hospital das Clínicas) da Famema (Faculdade de Medicina de Marília), Débora Gutierrez.

A Central de Captação de Doadores do HC representa a OPO (Organização de Procura de Órgãos) e a OPC (Organização de Procura de Córneas), ligadas à Central de Transplante que hoje funciona em Ribeirão Preto. A partir de 19 de janeiro, a central passará a ter os procedimentos centralizados em São Paulo.

A área de abrangência da Central de Captação de Doadores do HC é de 1,6 milhão de habitantes, envolvendo as microrregiões de Assis, Dracena, Lins, Ourinhos e Presidente Prudente.

Transplantes

Em Marília são realizados transplantes de córneas no Hospital das Clínicas e transplantes de rins na Santa Casa. A expectativa é que em breve sejam implantados os serviços para realização de transplantes de fígado e de medula óssea no HC.

Da Faculdade de Medicina de Marília