janeiro 27, 2010

Vereador de Botucatu defende instituição de Bolsa Atleta Municipal

A melhoria no esporte botucatuense passa por uma política de incentivo financeiro aos atletas que se destacam em competições regionais, estaduais e nacionais. A afirmação é  do vereador Professor Nenê (PSB), educador físico, que garante atuação parlamentar sobre a questão em 2010.

De acordo com o vereador, Botucatu possui diversos talentos nos diferentes esportes. Entretanto, a falta de apoio financeiro para que o jovem possa se manter na atividade determina seu abandono. “A grande maioria das pessoas que se destacam em alguma modalidade esportiva acabam se afastando da prática para trabalhar. Isso acontece, geralmente, na adolescência, justamente no momento em que esse talento deve ser lapidado”, enfatiza.

Para reverter essa situação, Professor Nenê afirma que irá propor a criação de uma Bolsa Atleta Municipal. “Assim, os futuros atletas não teriam de se preocupar em trabalhar para completar a renda familiar e poderiam se dedicar ao esporte”, explica.

O vereador explica que existem modalidades estadual e nacional do incentivo. Porém, essas são destinadas a atletas que disputam campeonatos paulistas e brasileiros. A idéia da Bolsa Municipal é atingir o esportista no âmbito dos jogos regionais, de modo que sirva para o avanço das categorias de base de Botucatu.

O parlamentar admite que o orçamento da Secretaria Municipal de Esporte é reduzido de tal forma que não seria capaz para absorver essa nova demanda. Para driblar essa dificuldade, Professor Nenê relata que imagina duas maneiras de angariar verba. “A primeira é a conquista de emendas parlamentares, que já tenho mantido contado com deputados que possam viabilizar esse projeto. A segunda seria a união entre as Secretarias Municipais de Assistência Social, de Saúde, de Educação e de Segurança”, coloca.

Segundo o vereador, a Bolsa Atleta Municipal poderia interferir nas quatro especialidades, já  que o jovem carente irá contribuir com a renda familiar (Assistência), será um indivíduo mais saudável (Saúde), deverá manter-se dedicado à escola para manutenção da bolsa (Educação) e, por conseqüência, ficará distante da marginalidade (Segurança)”, diz. Como a Secretaria de Esporte não possui verba suficiente, caberia a ela a disposição do corpo profissional e dos locais de treinamento.

O parlamentar ressalta que um requerimento, com solicitação de estudos de viabilidade do projeto ao Executivo Municipal, será apresentado na segunda sessão da Câmara de Botucatu, dia 15 de fevereiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Câmara Municipal de Botucatu