março 01, 2010

Diretor da FCA profere aula inaugural para calouros de Agronomia e Engenharia Florestal

A Faculdade de Ciências Agronômicas recebeu, na manhã desta segunda-feira, dia 1º de março, os calouros dos cursos de Agronomia e Engenharia Florestal. Os novos alunos foram recepcionados com um café da manhã no Auditório Paulo Rodolfo Leopoldo, na Fazenda Lageado. O diretor da unidade, professor Edivaldo Domingues Velini, falou aos futuros profissionais que hoje ingressam na FCA sobre seu papel como geradores, articuladores e aplicadores de conhecimento.

O vice-diretor da FCA, José Matheus Yalente Perosa, ressaltou a importância da construção de um conhecimento interdisciplinar para a melhor atuação do profissional de agronomia e engenharia florestal e colocou que o ensino deve ser assumido como um compromisso mútuo da Universidade e do aluno. Hélio Grassi Filho, coordenador do curso de Agronomia, explicou aos calouros como um bom desempenho acadêmico pode ser fundamental para que o aluno possa usufruir de todos os benefícios oferecidos pela Faculdade, inclusive a possibilidade de realizar estudos e pesquisas no exterior.

Professor Edivaldo Domingues Velini orienta os novos alunos sobre a vida acadêmica e futuro profissional
Valdemir Antonio Rodrigues, coordenador do curso de Engenharia Florestal, ressaltou a importância da busca por uma formação plena, que agregue ensino, pesquisa e extensão. O professor Sérgio Campos, presidente da Comissão de Recepção aos Calouros, orientou os primeiroanistas sobre a questão do trote e o acadêmico Gabriel Cortez Machado da Silva, representante do Diretório Acadêmico da FCA, garantiu aos novos alunos que todo o esforço empenhado na vida acadêmica é bem recompensado na FCA. O aluno ainda divulgou a ampla programação de recepção aos calouros, que acontecerá no decorrer da semana e, com a experiência de quem já passou por esta fase, comunicou: “Preparem-se para conhecer o mundo de maneira diferente”.



A aula inaugural
“Vocês acabam de ganhar o sobrenome FCA/Unesp e vão carregá-lo pelo resto da vida”, comemora o professor Edivaldo Domingues Velini, diretor da FCA, juntamente com quase uma centena de jovens recém-chegados ao universo acadêmico. Esta afirmação, que fez parte da aula inaugural proferida aos alunos dos cursos de Agronomia e Engenharia Florestal da FCA, tem dois lados, também ressaltados pelo diretor. “Em qualquer índice de avaliação, a FCA está entre as cinco melhores faculdades da área agrícola e florestal. É um privilégio estar aqui. Porém, também é uma grande responsabilidade. Qualquer aluno das universidades públicas do Estado de São Paulo custa entre trinta e quarenta mil reais por ano aos cofres públicos. São cerca de cem reais por dia”, coloca o professor. “Esse investimento só vale a pena quando forma profissionais de excelência. Então, o que se espera de vocês é muito mais do que profissionais aptos a produzir. É preciso estar preparado para produzir conhecimento”.

Na seqüência, o professor Velini apresentou um amplo panorama do agronegócio brasileiro, englobando as atividades agrícolas e florestais e mostrou perspectivas e desafios para os futuros profissionais. “Hoje, o agronegócio não produz apenas alimento. Talvez, daqui há 40 ou 50 anos seu principal produto sejam os serviços ambientais. Sem perder a vocação agrícola, o Brasil tem uma grande vocação na produção de energias renováveis para o mundo. E, o que percebemos é que o mundo depende muito mais de pessoas do que de máquinas e processos. Por exemplo, há uma ex-aluna de pós-graduação da FCA que hoje gerencia um projeto da ordem de 60 milhões de dólares, que pode mudar toda a matriz energética do mundo”.

Para finalizar, o professor definiu as características necessárias para que o calouro da FCA possa se tornar o “profissional do futuro”. Entre elas estão empreendedorismo, muita leitura e diálogo, habilidade de comunicação, trabalho em equipe, visão transdisciplinar, saber lidar com o inédito e saber perguntar. “Ser um profissional do futuro não é fácil, mas o desafio torna-se interessante quando percebemos que com isso nos tornamos pessoas melhores”.

Assessoria de imprensa - Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp - câmpus de Botucatu/SP - Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais - Fepaf