março 01, 2010

Grafiteiros virtuais transformam mini fazendas em obras de arte

Um fenômeno tem feito com que publicitários e empresas de games mudem a forma com que os internautas participem dos sites de relacionamento. Trata-se dos jogos sociais, categoria que há algum tempo, ganhou destaque no Facebook, com clássicos como o Farm Ville, e Máfia Wars.

O Orkut aderiu à febre com intensidade após a sua recente reformulação e trouxe opções que ganham a preferência, como o Joga Craque, Mini fazenda e Colheita Feliz.
Por incrível que pareça, o público desses jogos agrada em cheio o mercado publicitário, são mulheres com idade acima de 40 anos. Esta informação toma como base uma pesquisa feita pela fabricante de jogos americana Popcap Games.

Para chegar a essa conclusão foram ouvidas 1.202 pessoas online, entre os dias 7 e 12 de janeiro de 2010. 800 entrevistados (67%) eram dos Estados Unidos enquanto 402 (33%) eram do Reino Unido. Todos jogam essa categoria de game mais de 15 minutos ao dia.

Jogadores passam mais de 15 minutos por dia nos aplicativos
A expectativa do mercado é que a indústria de jogos sociais movimente esse ano mais de 1 bilhão de euros.

A grande questão é: o que faz com que tanta gente tenha adoração por esse tipo de game? Talvez a resposta seja o fato de que vencer pouco importa, o que interessa é a participação dos amigos na construção de suas fazendas ou na interação constante que os games possibilitam.

Entre os adeptos dos jogos sociais existem verdadeiros artistas, que extrapolam as fronteiras de suas fazendas na apresentação de verdadeiras obras de arte. Observe abaixo o trabalho de alguns destes fazendeiros rebeldes que transformam suas áreas de plantação em verdadeiros grafites da web.


Os aplicativos tem servido de inspiração até para confeiteiros