abril 25, 2010

"Ilha das Flores": reflexão sobre a desiguldade social através de um tomate

A desiguladade social, esse é o tema central do curta metragem "Ilha das Flores" (1989), escrito e dirigido pelo cineasta Jorge Furtado, com produção da Casa de Cinema de Porto Alegre.

A linguagem é ácida e tem como referências o autor Kurt Vonnegut ("Almoço de Campeões"/ "Breakfast of Champions") e  filmes de Alain Resnais ("Meu Tio da América"/ "Mon Oncle d'Amérique").

O documentário coleciona prêmios e recebeu vários rótulos, entre eles "materialista", já que apresetna em uma das cenas a inscrição "Deus não existe".

Para o crítico Jean-Claude Bernardet (em "O Cinema no século", org. Ismail Xavier, Imago Editora, 1996) define o trabalho como "um filme religioso" e a CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) premiou o docuemntário com o Prêmio Margarida de Prata, como o "melhor filme brasileiro do ano" em 1990.

Em 1995, Ilha das Flores foi eleito pela crítica européia como um dos 100 mais importantes curtas-metragens do século e está listado entre os 1001 filmes para assisitir antes de morrer do livro "1001 Filmes para Ver Antes de Morrer"

O filme na verdade é Um ácido e divertido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, o curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.

Ilha das Flores 
Gênero Documentário, Experimental
Diretor Jorge Furtado
Elenco Ciça Reckziegel
Ano 1989
Duração 13 min
Cor Colorido
Bitola 35mm
País Brasil
Local de Produção: RS





Ficha Técnica
Produção Mônica Schmiedt, Giba Assis Brasil, Nôra Gulart Fotografia Roberto Henkin, Sérgio Amon Roteiro Jorge Furtado Edição Giba Assis Brasil Direção de Arte Fiapo Barth Trilha original Geraldo Flach Narração Paulo José        
   
Prêmios
Urso de Prata no Festival de Berlim 1990
Prêmio Crítica e Público no Festival de Clermont-Ferrand 1991
Melhor Curta no Festival de Gramado 1989
Melhor Edição no Festival de Gramado 1989
Melhor Roteiro no Festival de Gramado 1989
Prêmio da Crítica no Festival de Gramado 1989
Prêmio do Público na Competição "No Budget" no Festival de Hamburgo 1991