abril 09, 2010

Diferentes reações do organismo a medicamentos serão discutidas em palestra

Por que varia a resposta e susceptibilidade à toxicidade de vários medicamentos? Por que diante de uma dose padronizada uma parcela considerável de pacientes não  responde ao tratamento, responde apenas parcialmente ou apresentam  reações adversas? Essas questões que sempre intrigaram médicos e  farmacêuticos serão tema da palestra “Atualidades em Farmacogenética e Nutrigenômica”, agendada para o dia 15 de abril, às 19 horas, no Anfiteatro da Patologia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB).
O palestrante será Dr. Marcelo Sady Plácido Ladeira, do Programa de Pós-graduação em Patologia da FMB, vinculado ao Laboratório de Toxicogenômica e Nutrigenômica. Segundo ele, nos Estados Unidos, mais de dois milhões de hospitalizações e 100.000 mortes por ano são decorrentes de reações adversas a medicamentos  prescritos pelos médicos. “As variações na resposta ao tratamento podem  ser decorrentes de vários fatores, entre eles fatores genéticos, os quais podem determinar a eficácia e a segurança de um medicamento”, coloca.


De acordo com Ladeira outras áreas que têm despertado muito interesse são a Nutrigenética e a Nutrigenômica. Elas estudam a interação entre o  genoma humano e micronutrientes que participam de diversos processos  biológicos, como reparo de DNA, resposta imunológica, etc, modulando seu funcionamento e, consequentemente,  determinando a suscetibilidade à obesidade e ao desenvolvimento de  várias doenças degenerativas crônicas como câncer, diabetes e doenças  cardiovasculares.

“Portanto, tanto a Nutrigenômica como a Nutrigenética  podem fornecer ferramentas ao nutrólogo e ao nutricionista para o  estabelecimento de intervenções nutricionais personalizadas, que podem  permitir emagrecimento com menor esforço, maior atividade nas tarefas do dia-a-dia e, principalmente, reduzir o risco de desenvolvimento de doenças”, observa.

Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB e HC/Unesp