abril 09, 2010

Escola muda a realidade ambiental com plantio de árvores

A luta de pais, alunos e funcionários do Centro de Educação Infantil “Profª Luiza de Campos Avellar Pires”, em Botucatu pela recuperação da mata ciliar do Rio Lavapés nas proximidades da Unidade Escolar começou em 2005, e no sábado, dia 10 será dado um importante passo, durante a Festa do Sorvete, promovida pela unidade escolar.

Conforme explica a diretora da escola, Rosana Aparecida Garcia Braga, na ocasião, entre as 14 e 17 horas, acontecerá a distribuição de mudas de árvores à comunidade e no domingo, dia 11, das 8h30 às 11h30, a “Seção BIO” (grupo de alunos da Biologia/Unesp), realizará um mutirão para o plantio de novas árvores e melhoria de 100 mudas já existentes na área.

O sonho da comunidade e objetivo da escola é transformar as margens do rio em jardim. “Queremos que a comunidade local tenha uma área verde de lazer, e ao mesmo tempo conscientizá-la  sobre as responsabilidades que cada cidadão deve ter para com as plantas, com o lixo, com a água, enfim com o meio ambiente”, ressalta.

As ações da unidade escolar não ficam apenas no plantio de mudas. Já houve a sensibilização da comunidade sobre a importância da preservação do meio ambiente através de visitas dos alunos às residências. “Também promovemos várias ações em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria de Obras, ONG Geografia ao Vivo, Sabesp, Polícia Ambiental e Instituto de Biociências (IB) Unesp”, comenta.

Vários plantios e distribuições de mudas foram realizados e a margem do Ribeirão passou a ser fonte constante de pesquisas e observações. “Estamos permitindo aos alunos contato direto com a terra e interação com as plantas. Os pais aprenderam os procedimentos corretos no plantio de mudas e os cuidados para a sua sobrevivência”, informa a diretora.

Após essas iniciativas e atitudes, foi possível perceber a sensibilização, a conscientização e a colaboração de todos os envolvidos. “Agora temos moradores críticos em relação às margens e às águas do nosso Rio Lavapés”, afirma Braga.

Em 2009, através do Projeto Ribeirão Lavapés, a escola conquistou do Ministério de Educação e Cultura (MEC) o “Selo Escola Solidária” por garantir qualidade na educação envolvendo alunos, pais, funcionários e comunidade.

Auxiliando nesse trabalho encontra-se André Fossalusa, aluno do 6º ano de Biologia do IB/Unesp, organizador da iniciativa que acompanha as atividades desde 2009.

“Todos estão convidados para participarem dessas iniciativas a serem realizadas no próximo final de semana.Temos que preparar as crianças para serem adultos melhores. Para isso é necessário que aprendam a respeitarem e protegerem o meio ambiente”,  finaliza a diretora.
Por Renato Fernandes