abril 11, 2010

Estudo traça relação entre a "Modernidade e o Progresso: A Estrada de Ferro Sorocabana na cidade de Botucatu"

O universitário Luís Gustavo Botaro,prepara seu trabalho de conclusão de curso estabelecendo relações entre a ferrovia, imprensa e o desenvolvimento de Botucatu, no período entre os anos de 1929 e 1939, tendo como uma das fontes de pesquisas o arquivo de jornais do Centro Cultural de Botucatu (CCB). 
O aluno do curso de história da Unesp de Assis, conta com o incentivo da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Seu trabalho é intitulado: “Modernidade e Progresso: A Estrada de ferro Sorocabana na cidade de Botucatu”.

“A ideia é entender como funcionava o discurso dos dois jornais periódicos da cidade (Correio de Botucatu e Folha de Botucatu) durante esse período, quando a pauta era a ferrovia. Em seguida compararei as matérias com arquivos oficiais da Ferrovia para chegar se os anseios da empresa coincidiam com os da Cidade”, explica o estudante.

O período abordado marca o momento em que as estruturas da companhia (armazéns e oficinas) entram na fase de pleno desenvolvimento, com ampliação e construção de imóveis. “O objetivo geral é entender o funcionamento da companhia em Botucatu, e qual a importância atribuída à ferrovia através dos periódicos e das Atas Municipais. A proposta principal é um estudo de como era entendida a ferrovia no município, principalmente compreender o porquê do destaque nos jornais sobre as modificações nas estruturas ferroviárias e como eram percebidas”, ressalta.

Botaro lembra que a chegada da ferrovia a Botucatu aconteceu em 1889. “Foi um ano de muitas mudanças e expectativas em torno não apenas do empreendimento, como em relação à nova ordem política que o país entrara. A ferrovia na cidade de Botucatu deixa suas marcas na história municipal, pois através de suas linhas, a Cidade foi se constituindo e desenvolvendo”.

Segundo ele, existe uma  escassez de trabalhos sobre a ferrovia em Botucatu. A pesquisa também visa a reconstituição histórica da presença da Sorocabana na cidade de Botucatu. “Tento compreender a interação entre a ferrovia e Botucatu, a partir do olhar desses meios de comunicação. Com essa interação entre a empresa e Botucatu, compreender os motivos que levaram a questão modernidade a ter certo realce nas questões municipais, e, por conseguinte, como está questão era entendida”, finaliza.

Por Renato Fernandes