maio 05, 2010

Os anões de jardim merecem a liberdade?

A Liberdade aos anões de jardim que vivem confinados nos quintais como peças decorativas. Isso é o que prega o movimento francês FLNJ (Frente de Libertação dos Anões de Jardins).

O Grupo não é perigoso e age na calada da noite roubando retirando os anões de jardim das residências e libertando-os em seu habitat “natural”, florestas, bosques, ao lado de nascentes, entre outros ambientes naturais e inusitados.
Grupo luta pela libertação dos anões

A frente começou a atuar em 1997 e desde então assumem o rapto e libertação de pelo menos seis mil gnomos.

O grupo não tem representantes oficiais no Brasil, mas já existem imitadores, como o Movimento de Emancipação dos Anões de Jardim que atua em conjunto com a Associação dos Libertadores Anões de Jardim (ALAJ). Recentemente também surgiu a Liga Para Libertação dos Anões de Jardim, grupo que se faz representar por uma página própria no Multiply  http://liberdadeaosanoes.multiply.com/journal.

Os libertadores de anões registraram grandes atuações no início da década de 2000, tendo como ápice o mês de junho de 2002, quando mais de 202 anões foram soltos em um campo de futebol, em uma ação de protesto contra o desempenho da seleção francesa na Copa do Mundo.

No ano seguinte, 2003, a frente atacou na cidade de Saint-Die-des-Vosges. Onde um padre encontrou aproximadamente 40 anões indo à missa, em formação nas escadarias da igreja. Isso aconteceu em uma manhã de domingo.

Em outra ofensiva, em novembro de 2006, 80 anões foram retirados de jardins e encontrados no Centro da França, às margens de um riacho em Limusina. Segundo o portal Uol Os anões estavam escondidos debaixo de arbustos, com uma faixa com a inscrição "gnomo maltratado, gnomo libertado”.

Gnomos soltos passam a curtir a vida nas florestas e praças
No início da década de 1990, em Botucatu - interior de São Paulo,  um grupo de radialistas responsáveis pelo programa “Vitrine Viva”, demonstraram apoio ao movimento libertando vários anões com transmissão ao vivo por uma emissora de rádio. “Foi um momento muito marcante. Promovemos inclusive uma cerimônia para marcar o acontecimento e a soltura dos pequenos”, informa o jornalista Haroldo Amaral, um dos participantes da ação.

Um dos defensores dos direitos dos  anões  é o famoso e surreal filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, segundo os entusiastas da FLNJ, Amélie é uma ativista do movimento e demonstra isso ao roubar o anão de seu pai e garantir que ele faça, ao lado de uma aeromoça, uma tour mundial, com direito à cartões postais.

Como a família de Amélie sempre tratou o anão com amor e carinho, ele retorna ao lar e incentiva o pai da ativista a fazer uma viagem semelhante.
Após anos de aprisionamento alguns partem para aventuras

Não foi apenas na ficção que um anão viajou pelo mundo, conforme relata a BBC Brasil.

O site conta a história do anão de jardim britânico Murphy, que sumiu de seu confinamento na cidade britânica de Gloucester, para reaparecer anos mais tarde, em 2008, com alguns sinais da aventura e trazendo em seu interior um álbum de fotos com imagens de pontos turísticos e históricos de 12 países.

A Viagem de Murphy em slides


A frente também encontrou opositores. Entre eles a Associação para a Defesa do Kitsch Suburbano que passou a patrulhar os jardins franceses à noite afirmando que por trás da brincadeira juvenil se esconde o desejo de tomar o poder Para o sociólogo parisiense Jean-Claude Kaufmann, ouvido pelo jornal Libération, toda essa história demonstra uma luta de classes. "É um brado contra a dominação", filosofa.

A reportagem do blog O Grito Notícias teve acesso a uma convocação da Liga Para a Libertação dos Anões de Jardim, confira abaixo o que diz o documento:

Conclamação Para a Luta

   

Os anões de jardim que conhecemos hoje, são descendentes diretos de uma linhagem de gnomos que reinavam absolutos pelas florestas da Irlanda até o dia em que foram descobertos por ingleses que os caçaram como esporte e os levaram para casa como troféus, logo foram aprisionados em jardins de castelos por toda a Europa medieval, 10 entre 10 princesas queriam seu jardim adornado pelas esquisitas criaturinhas.
Com o surgimento dos decoradores de gosto duvidoso, a moda se espalhou e hoje encontramos anões aprisionados em jardins por todo o planeta, eles permanecem em estado catatônico devido as péssimas condições de trabalho, excesso de exposição à luz solar, exaustão e principalmente a falta do consumo de chá de um cogumelo raro que só cresce nas encostas irlandesas.

Algumas dezenas deles conseguiram escapar dos caçadores ingleses e se refugiaram em cavernas onde viveram por muitos séculos, foi onde conheceram um espeleólogo francês que sensibilizado com a história dos descendentes dos gnomos, resolveu lutar pela conscientização das pessoas em relação à situação dos anões de jardim, paralelamente criou um exército que durante algum tempo sequestrou anões aprisionados em jardins de toda a Europa e os levavam a lugar seguro onde poderiam viver livremente.

Porem a história se espalhou e desagradou um grupo de poderosos, o movimento pelos direitos civis dos anões de jardim foi rapidamente abafado e o exército dizimado.

Agora reunimos os anões libertados e um grupo de pessoas que acreditam no direito à vida livre para todas as criaturas e recrutamos mais pessoas para darmos continuidade ao movimento, não descanso até que o ultimo anão de jardim seja um ser livre.

LIBERDADE PARA OS ANÕES DE JARDIM!

Saiba mais - http://www.freethegnomes.com/
http://liberdadeaosanoes.multiply.com/journal