maio 17, 2010

Tombamento: Condephaat analisa complexo arquitetônico da ferrovia em Botucatu

Uma equipe composta por três arquitetos e uma historiadora da Unidade de Proteção do Patrimônio Histórico (UPPH) do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), esteve em Botucatu na última quarta-feira, dia 12, para vistoria do complexo arquitetônico da ferrovia.

A equipe passou pelo Município sem causar alarde, contando apenas com a colaboração da Guarda Civil Municipal e do secretário de Descentralização e Participação João Carlos Figueiroa, para percorrer os imóveis próximos à Estação de Embarque e Desembarque de Passageiros.

Como missão, o grupo realizou um levantamento técnico  dos imóveis. “Viemos para analisar os edifício e a relação com a paisagem, considerando a  importância histórica e a relação entre eles”, explica o arquiteto Tobias de São Pedro.
Leonora Portela e Tobias de São Pedro integram a equipe

A historiadora Leonora Portela de Assis, explica que a visita vai gerar material que fará parte do processo de estudo de tombamento dos imóveis. “Essa é uma etapa quase final para a preparação da proposta de tombamento”, diz.

No dia 9 de abril, o Governo Federal oficializou a transferência dos imóveis pertencentes à ferrovia ao Município e, de acordo com a historiadora, o interesse que a administração pública tem apresentado pela recuperação da área contribui positivamente para o processo em geral.

O prefeito João Cury Neto já anunciou ao jornal Diário da Serra / site Entrelinhas (www.entrelinhas.com)  que prepara a documentação visando a recuperação dos prédios. “Consta nos planos de 2010 do UPPH a conclusão do processo de tombamento”, anuncia Portela. “O complexo tem problemas, mas temos a impressão de que o Município está desejoso em cuidar desse patrimônio”, completa.

Além de passar pela área da ferrovia, a equipe vistoriou ainda  a área da Fazenda Experimental Lageado que também passa por processo de estudos para tombamento. “Estamos gerando material suficiente para o processo de tombamento desses dois complexos e são várias etapas por serem análises em complexos”, finaliza Portela.
Por Renato Fernandes