julho 06, 2010

Escultor cria museu temático do Chupa Cabra

O escultor Pedro césar, responsável por diversos monunento de bronze e estátuas do interior de São Paulo, fez uma réplica do temível predador Chupa Cabras e decidiu ir além, aprendeu técnicas de taxidermia, empalhou um bezerro e duas ovelhas e criou um museu temático, sobre a figura folclórica. “Recebemos muitos visitantes. Eles entraram para ver a exposição e muitos saíram sem conseguir piscar, ficaram surpreendidos”, garante o artista.

O museu foi instalado momentaneamente no ateliê do artista, em Botucatu, mas já percorreu Cidades como Itatinga, com previsão de chegar para outros municípios, como Itu e Bauru. “A idéia é operar de modo itinerante, percorrendo todas as cidades interessadas em receber as peças”, explica César.

Réplica do predador mede cerca de 1,50 metro e pesa 30 quilos
O ambiente é devidamente climatizado, com ruídos da floresta, folhas pelo chão e peças preparadas utilizando a técnica de taxidermia, como um bezerro e dois carneiros, que apresentam sinais dos ataques através do conceito hiperrealista. “Para trabalhar nesse projeto eu fiz um curso específico de taxidermia na Unimar (Universidade de Marília)”, explica César, responsável pela exposição e criador das peças.

A mostra também apresenta a reprodução de uma pegada encontrada em Porto Rico,  que de acordo com relatos, pertenceria ao estranho ser. Em outra ala, estão à mostra réplicas de armas destruídas pelo animal e de uma pedra, onde pesquisadores encontraram saliva com DNA desconhecido.  “Desenvolvo esse tema há oito anos, período de amadurecimento da ideia, e produção da escultura do Chupa-cabras. Para ter uma noção do trabalho são 32 mil pêlos, implantados um a um”, explica o escultor.

A grande estrela da mostra, o Chupa-cabras, de aproximadamente 1,50 metro está “aprisionado”  em uma caixa com grades, seu peso é de aproximadamente 30 quilos. “Utilizei massa epoxi para desenvolver o trabalho e esperamos levar essa exposição até outras cidades. Já temos uma conversa com Itu e Bauru”, diz.
        O escultor trabalha no projeto há mais de oito anos       

A escultura do chupa-cabras também faz parte do projeto “Museu Itinerante do folclore”, onde o escultor levará para diferentes cidades brasileiras reproduções dos personagens do folclore nacional. “Já temos a carreta preparada para receber as peças e no momento, estou trabalhando em diversos personagens”, ressalta.

O museu fica na Rua Major Matheus, nº 8, em Botucatu (interior de SP), e funciona entre as 17 e 22 horas. Ingressos custam R$ 5 e R$ 3 (para estudantes).

        Algumas peças foram desenvolvidas com técnica de taxidermia       
    Acervo, conta com réplica de pedra com saliva de DNA desconhecido  
             Fachada do museu que foi montado em Botucatu             
Texto e fotos: Renato Fernandes