agosto 18, 2010

Ummo: religião ufológica e uma grande farsa moderna

Fernando Sesma Manzano é um ufólogo espanhol que afirma ter recebido, em 1962, uma ligação telefônica de alguém que se identificou como "DEI 98, filho de DEI 97", afirmando ainda, que integrava uma expedição alienígena do Planeta Ummo, que fica na órbita da estrela Wolf 424, a 14,6 anos-luz da Terra.
O primeiro contato dos habitantes de Ummo, com o planeta Terra foi nos Alpes Franceses, onde pousou as primeiras naves, em meados da década de 1950.

     Sesma Manzano, a primeira testemunha  
Após a aterrissagem com sucesso, o Ummitas passaram a observar os terráqueos e passaram a se preocuparem com a população. Como não poderiam se apresentar diretamente aos governantes dos países decidiram então contatar pessoas cuidadosamente escolhidas, para fornecer informações necessárias para a continuidade da vida na Terra, garantindo ainda, a evolução humana.

Na década de 1960, Intelectuais, cientistas e filósofos europeus, passaram a receber estranhas cartas que tinham como remetentes os Ummitas, as correspondências eram enviadas de diferentes pontos do Globo Terrestre, como a Argentina, Austrália, Inglaterra e Nova Zelândia. Os temas abordados nas cartas tinham alto teor filosófico, religioso e científico, tendo o seguinte símbolo como assinatura ]+[.
    Um misterioso símbolo sobre as naves    

Algumas correspondências eram de condolências aos terrestres, pela morte de personalidades significativas no mundo: Bertrand Russel, Gandhi, Papa João XXIII, Martin Luther King, Albert Schweitzer e Leon Tolstoi.

A partir do conteúdo das correspondências, e seus destinatários foram criados grupos de estudos do que passou a ser chamado de "ummologia". Clubes sobre o assunto foram iniciados em várias partes do mundo, recebendo o apoio de cientistas, como o astrofísico francês Jean Pierre Petit. Os estudos resultaram em várias publicações que se espalharam pelo mundo, chegando inclusive ao Japão. Em 1971 aconteceu em Barajas, Espanha, o primeiro simpósio sobre o tema.

O símbolo passou a ser relacionado com a religião alienígena, um tipo de cristianismo cósmico que tinha como base a crença de um deus único, chamado de Woa, as relações entre o cristianismo e a religião Ummita são gritantes, outro ponto comum é o fato do sacrifício de um redentor, conhecido como Ummowoa.
   O emblema foi convertido a símbolo religioso   

Ainda durante a década de 1960, Ovnis com o símbolo Ummita foi avistado em Madri (1966), em 1967, outro disco com a mesma simbologia foi fotografado em Madrid.

Pelo menos três seitas se formaram a partir dos fundamentos Ummitas e ficaram conhecidas como: "Os amigos e Irmãos dos Ummitas", "Fraternidade Cósmica" e a "DEI 98".

A crença dos seguidores destas seitas dizia respeito à existência de um multiverso de dez dimensões e a capacidade de manipular partículas subatômicas, capacidade extra que garantia aos alienígenas a possibilidade de transmutar suas naves em energia pura, percorrendo longas distâncias em segundos.

O que os seguidores das seitas Ummitas não esperavam era que, na década de 1990, toda a história viesse à tona, revelando que o símbolo, personagens religiosos e naves espaciais fossem fruto de um experimento social, encabeçado pelo psiquiatra espanhol José Luis Jordan Peña. Segundo ele, 79% dos seres humanos sofrem de paranóia, e para confirmar sua tese, com a ajuda de alguns colaboradores, inventaram as correspondências Ummitas.

 Peña, o autor de uma das maiores farsa do mundo 
Outra criação do grupo foram as aparições dos ovnis, que na realidade eram aeromodelos controlados por controle remoto, com fotos manipuladas.

Porém, o psiquiatra perdeu o controle sobre a sua história, quando as cartas simplesmente começaram a se multiplicar, chegando a mais pessoas do que o previsto, fato que, cofnirmou a sua tese de que a humanidade estava disposta a acreditar em qualquer coisa.

Para alguns ufólogos, entre eles Jacques Vallee, o experimento social foi patrocinado pela KGB, informando de que a ideia de multiverso, inéditos na época, pertenciam ao russo Andrei Sakharov. Para Vallee, os cultos alienígenas eram os ambientes ideais para disseminar desinformação e idéias subversivas.






Referências
Livro - "Conspirações - Tudo o que Não Querem que Você Saiba", de Edson Aran
Sites: Ordem Implicada, Portal Revista Vigília.
  
ENQUANTO ISSO,  EM OUTROS BLOGS!