janeiro 27, 2011

A fisioterapia no combate e prevenção à Dort


Segundo a fisioterapeuta Maria Rita Cassetari, a fisioterapia tem a função de prevenir e tratar as doenças ocupacionais, ou seja: enfermidades adquiridas no trabalho.

“Dependendo o tipo da doença ou lesão, a fisioterapia pode orientar e adaptar o indivíduo à função específica que desempenha, adaptando as articulações a mobiliário adequado, orientando o indivíduo a usar adaptadores sonoros ou máscaras”, explica.

Quando existe a necessidade o profissional deve ainda, além dos exercícios e orientações posturais, usufruir de recursos termoterapêuticos, como a crioterapia, calor-infravermelho, ondas curtas, ultra-som, eletroanalgésicos (tens, laser), massoterapia, realizados em atendimentos individualizados.

“O médico do trabalho é o especialista indicado para estabelecer o diagnóstico, após estudo do histórico e evolução dos sintomas, do exame físico e dos exames complementares (radiografia, ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia, eletroneuromiografia) e então, encaminhá-lo ao tratamento fisioterápico”, orienta.



Postura inadequada e seus riscos - As posturas inadequadas é a grande vilã e causadora de uma série de Dort e podem ser ocasionadas por mesa ou teclados baixos; assento muito afastado da mesa; posição fixa da cabeça durante longo tempo; falta de apoio adequado para o punho e antebraço durante um trabalho de digitação, de forma a exigir sobrecarga na musculatura extensora e flexora do punho e musculatura da coluna cervical e cintura escapular.

É possível evitar as lesões - Para evitar as lesões a fisioterapeuta recomenda o uso de adaptadores ao telefone para as mãos ficarem livres para anotações; suporte para papel na altura da tela do computador; regular o assento da cadeira para que o pescoço fique reto em frente ao monitor; o joelho deve ficar flexionado em ângulo reto; se a cadeira for alta, usar apoio para os pés; movimentar as pernas freqüentemente ou levantar da cadeira de tempos em tempos.

Consulte um médico do trabalho - Maria Rita Cassetari lembra que o diagnóstico das doenças ocupacionais envolve aspectos de conduta clinica, previdenciária, trabalhista, civil e ás vezes até criminal.

“O diagnóstico deverá ser estabelecido por um médico do trabalho e avalizado por um médico perito do Ministério da Saúde, que terão o cuidado de excluir as doenças degenerativas da idade e relacionar com hábitos que agravam os sintomas”.

Todo o corpo pode ser afetado - As Dort podem afetar qualquer sistema do organismo, como: tegumentar (irritações na pele pela permanência em ambientes muito frios ou quentes, oleosos ou empoeirados); tecidos moles (bursites do ombro, tendinites do ombro, epicondilites do cotovelo, distensões musculares); nervoso (neurites compressivas do mediano no punho); sensoriais, entre outros.