julho 05, 2011

Filme dirigido por Gabriel Garcia Marques é destaque no Festival Latino Americano

Escritor vencedor do Prêmio Nobel de Literatura e roteirista de diversos longas-metragens, o colombiano Gabriel García Márquez é o homenageado internacional da sexta edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, que acontece de 11 a 17 de julho, com entrada franca.

O evento exibe a única experiência do escritor na direção cinematográfica: o curta-metragem “A Lagosta Azul”, realizado em 1954 na Colômbia e de rara circulação. Outros títulos por ele roteirizados e presentes na programação são “Erêndira”, dirigido por Ruy Guerra em 1983 e protagonizado por Irene Papas e Cláudia Ohana; “A Viúva de Montiel”, do chileno Miguel Littín (1979); e “Ninguém Escreve ao Coronel” (1999), dirigido pelo mexicano Arturo Ripstein, com Marisa Paredes e Salma Hayek no elenco.


Já a homenagem brasileira em 2011 é dedicada ao diretor e roteirista baiano Orlando Senna, cujas atividades abarcam a direção do curso de cinema da Escola Internacional de Cinema e TV de Cuba (instituição que tem García Márquez entre seus fundadores) e o comando da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. Estão programados trabalhos por ele dirigidos, como o clássico “Iracema, Uma Transa Amazônica” (co-realizado com Jorge Bodanzky), assim como obras em que atuou como roteirista, entre elas “O Rei da Noite” (1975), de Hector Babenco, e “Coronel Delmiro Gouveia” (1979), de Geraldo Sarno.

A seção Contemporâneos traz diversos títulos inéditos no Brasil, como a estréia da dupla de atores de “Morango e Chocolate”, Jorge Perugorría e Vladimir Cruz, na direção de longas de ficção no cubano “Afinidades”; o novo filme do chileno Pablo Larraín, “Post Mortem”, vencedor do Festival Cartagena e selecionado para Veneza, San Sebastian e Nova York; e o aguardado primeiro longa-metragem do argentino Gustavo Taretto, “Medianeras”, premiado este ano no Festival de Berlim.

O Novo Cinema Argentino merece retrospectiva com 11 títulos produzidos de 1995 e 2008, destacando autores como Pablo Trapero (“Mundo Grua”, 1999), Rodrigo Moreno (“O Guardião”, 2006), Daniel Burman (“Esperando o Messias”, 2000) e Lucrecia Martel (“A Mulher Sem Cabeça”, de 2008, inédito nas salas comerciais brasileiras).

Uma nova seção permanente, batizada de Soy Loca Por Ti, América! e com curadoria de Suzy Capó, estréia no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo e é dedicada à diversidade sexual. Inaugura-se com uma retrospectiva que, segunda a curadora, “evoca a veia política, a irreverência, o deboche e o romantismo que caracterizam a experiência queer na América Latina”. Entre as atrações estão o sucesso cubano “Morango e Chocolate” (Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío, 1994) e o vencedor do prêmio Teddy do Festival de Berlim 2011 “Ausente” (Marcos Berger, Argentina, 2010).

Completam a programação uma competição reunindo 35 curtas-metragens produzidos por escolas audiovisuais latino-americanas, a exibição dos 14 documentários da série Doc.TV América Latina e programas especiais – como as estréias de novos trabalhos assinados por Philippe Barcinski - “Esse Nosso Matulão (Os Brasileiros)” - e Regina Jehá, com “Viva Marajó”.


O evento promove ainda uma série de debates, encontros e lançamento de livro, além de abrigar os encontros latino-americanos de film comissions e de projetos itinerantes de exibição. Entre os mais de 100 convidados com presença confirmada em São Paulo estão os cineastas Pablo Trapero (Argentina), Miguel Littín (Chile), Paz Fábrega (Costa Rica) e Iria Gómez Conchero (México); os produtores Lit Stantic (Argentina) e Gustavo Montiel Pages (México); e o roteirista Miguel Machalski (França/Argentina).

Em 2011 o circuito de exibição do festival passa a contar com o Espaço Unibanco de Cinema, que se junta às duas salas no Memorial da América Latina, CineSesc, Cinemateca Brasileira (duas salas), Centro Cultural São Paulo, Cine Olido e Cinusp “Paulo Emílio”.

Iniciativa do Memorial da América Latina e da Secretaria de Estado da Cultura, órgãos do Governo do Estado de São Paulo, o 6º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo conta com o patrocínio da Petrobras, tendo sido selecionado pelo Programa Petrobras Cultural, através da Lei Rouanet.

O festival tem copatrocínio do Banco do Brasil e correalização da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura da Cidade de São Paulo, da Sociedade Amigos da Cinemateca, da Cinemateca Brasileira / Ministério da Cultura, do Sesc São Paulo, do Cinusp “Paulo Emílio” e do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da Escola de Comunicações e Artes, ambos da Universidade de São Paulo.

O evento tem o objetivo de divulgar e discutir a singularidade estética da cinematografia recente e histórica da região e é organizado pela Associação do Audiovisual, sendo seus curadores André Sturm, Francisco Cesar Filho e Jurandir Müller. A grade de programação, sinopses e dados dos filmes estão publicadas no website www.memorial.sp.gov.br.


Serviço:
6º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo
www.memorial.sp.gov.br
11 a 17 de julho de 2010
Memorial da América Latina - Av Auro S. de Moura Andrade 664, Barra Funda - (11) 3823.4608
Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro 1000, Paraíso – (11) 3397.4002
Cinesesc - Rua Augusta 2075, Cerqueira Cesar – (11) 3087.0500
Cine Olido – Av São João 473, Centro – (11) 3331.8399
Cinusp Paulo Emílio - Rua do Anfiteatro 181 favo 4, Cidade Universitária – (11) 3091.3540
Espaço Unibanco de Cinema – Rua Augusta 1475, Consolação – (11) 3288.6780
Sala Cinemateca - Largo Senador Raul Cardoso 207, Vila Clementino – (11) 3512.6111 r 215
Entrada franca