agosto 11, 2011

Atletas do Galo em prol do Hemonúcleo de Jaú

O Hemonúcleo Regional de Jaú, localizado no Hospital Amaral Carvalho (HAC), foi beneficiado pela mobilização de jogadores para doação de sangue coletiva. A unidade, que fornece hemocomponentes para nove municípios e 11 hospitais da região, precisa de pelo menos duas mil bolsas de sangue por mês para atender essa demanda, mas coleta cerca de 1.400 apenas.


Segundo o coordenador-técnico do Hemonúcleo, Francisco Martins da Costa Filho, o HAC é um dos centros que mais necessita de sangue. Referência em tratamento oncológico, este hospital possui um dos maiores serviços de Transplante de Medula Óssea do país. "Os pacientes que fazem quimioterapia e transplante de medula precisam de muitas transfusões de sangue, por isso nosso estoque está sempre no limite mínimo", explica.

A necessidade de sangue para reposição dos estoques é constante, especialmente os com RH negativo. Francisco esclarece que uma porcentagem pequena da população possui estes tipos de sangue. "Além disso, o sangue "O" RH negativo é o sangue do doador universal, ou seja, na falta de outros tipos de sangue, este pode ser utilizado, daí a necessidade de mantê-lo em estoque numa quantidade maior."

Jogadores do XV de Jaú e dirigentes da delegação participam de campanha de doação de sangue para mobilizar população jauense

XV Solidário
Em atenção ao apelo por doações, no dia 9 de agosto, membros da delegação do Esporte Clube XV de Novembro de Jaú (Galo da Comarca) compareceram ao Hemonúcleo para doar e incentivar a população a fazer o mesmo. O técnico do time, Marcelo Silva, disse que o grupo se sensibilizou e se prontificou de imediato a ajudar. "Conversei com os rapazes e dei o livre arbítrio de escolha em doar ou não, mas todos se dispuseram a vir", conta orgulhoso.

Vinte e quatro doadores, entre eles jogadores e dirigentes do Galo, participaram da ação: alguns doaram sangue pela primeira vez, outros já eram doadores e aproveitaram a oportunidade para ficar em dia com o Hemonúcleo, como é o caso de Carlos Eduardo Lopes (31). O jogador, que levou apenas 15 minutos para doar sangue, enfatiza a importância deste ato. "É um gesto solidário, não custa nada e ainda estamos salvando vidas."

Francisco lembra que além de trazer visibilidade para a necessidade de doações, promover ações como esta com o XV de Jaú, faz com que pessoas que nunca doaram sangue venham até a unidade e se tornem doadores. "Destes que vieram pela primeira vez, uma boa porcentagem vai continuar doando, e é o que precisamos, pessoas que se tornem doadores assíduos", salienta.

Sangue Corinthiano
Além dos jogadores do XV, torcedores do Corinthians também organizam campanha em prol do Hemonúcleo. Já na terceira edição oficial em Jaú, a campanha Sangue Corinthiano ocorre no dia 27 deste mês, a partir das 7h30 e as expectativas são boas. Conforme relata o coordenador do Hemonúcleo, a torcida corinthiana é fiel também na doação de sangue. "Na campanha de 2010 atendemos mais de 200 doadores e esperamos que isso se repita neste ano", diz.

Para doar é preciso:
- Estar em boas condições de saúde e descanso;
- Ter entre 18 e 67 anos (Menores, a partir dos 16 anos podem doar acompanhados de um dos pais ou responsável legal. Maiores de 65 anos só podem doar se já doaram antes dos 60 anos);
- Pesar no mínimo 50kg;
- Estar alimentado (mas evite ingerir alimentos gordurosos);
- Apresentar documento oficial de identidade com foto;
- Não ter tido hepatite após os 10 anos de idade;
- Não estar utilizando medicamentos;
- Não estar resfriado ou com gripe;
- Não ter tido doença de Chagas, Sífilis, Malária ou ser soropositivo de AIDS;
- Não ter feito tatuagem ou colocado piercing nos últimos 12 meses;
- Se mulher, não estar grávida ou amamentando.

Serviço
Hemonúcleo Regional de Jaú - Hospital Amaral Carvalho
Rua Dona Silvéria, 150 - Jaú
Tel. (14) 3602-1356

Horário de atendimento:
Segundas, terças, quintas e sextas-feiras, das 7h30 às 12h e das 14h às 16h30.
Quartas-feiras, das 7h30 às 12h e das 14h às 20h.
Sábados, das 7h30 às 12h.


Departamento de Comunicação - Fundação Dr. Amaral Carvalho