agosto 12, 2011

Professor da Medicina/Unesp colabora com capítulo em livro sobre acidentes no trabalho

Reflexo do crescimento econômico no país, o mercado de trabalho também apresenta números que causam preocupação. Somente em 2009, segundo dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ocorreram no Brasil 723.452 acidentes laborais. Desse total, 2.496 resultaram em mortes.

Ainda segundo os dados do serviço de seguridade, do total de acidentados, 77,1% são homens, e 22,9% são mulheres. A maior faixa de acidentados são os jovens de 20 aos 29 anos. Já as doenças decorrentes do trabalho estão mais presentes entre pessoas de 30 a 39 anos.


Para reverter esse quadro, campanhas e políticas específicas vêm sendo adotadas por entidades e órgãos governamentais. A análise dos meios usados para evitar e prestar assistência em saúde ao trabalhador é o tema do livro “Saúde do Trabalhador na Sociedade Brasileira Contemporânea” (Editora Fiocruz, 540 páginas), coletânea de artigos organizados pelo sociólogo Carlos Minayo ao lado dos médicos Jorge Mesquita Huet Machado e Paulo Gilvane Lopes Pena. A publicação conta com a colaboração do professor do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Ildeberto Muniz de Almeida.

O livro debate questões como a incorporação tecnológica e a globalização dos mercados, assim como a persistência de formas arcaicas de produção, a precarização do trabalho e a exclusão social. Segundo os autores, o foco é a saúde do trabalhador do ponto de vista da saúde pública, não ficando restrito somente aos locais de trabalho.

Incorporar o setor de serviços ao debate em saúde do trabalhador e refletir sobre questões de saúde mental, abordando as subjetividades, o sofrimento e o estresse dos trabalhadores são duas das principais contribuições da coletânea. Também há análises
sobre políticas públicas, vigilância em saúde do trabalhador e atuação sindical.

Prof. Ildeberto colabora no capítulo 9, “Acidentes de Trabalho e a Repolitização da Agenda de Saúde do Trabalhador”. Seu texto está na segunda parte e se chama “Acidentes e Agravos”, que discorre sobre a Política Nacional de Saúde. Segundo o professor, essa análise ajuda a compreender o papel do SUS (Sistema Único de Saúde) dentro da assistência ao trabalhador na prevenção e questão de incidentes laborais.

“Um dos pontos de maior abordagem nesse capítulo foi a Política Nacional do Trabalhador do Ministério da Saúde. Houve uma compreensão maior da missão dessas ações e isso pode ajudar a levar às esferas governamentais recomendações que a saúde do trabalhador tem que se disseminar amplamente dentro do SUS”, enfatiza o professor.

Serviço 
Saúde do Trabalhador na Sociedade Brasileira Contemporânea
540 páginas
R$ 60
Editora Fiocruz
Informações: editora@fiocruz.br

Flávio Fogueral - Jornal da FMB