junho 27, 2012

"Desejos de Mulher": o fíasco


No ano de 2002, o horário de novelas da sete da Rede Globo não vinha conseguindo agradar ao público. Quando estreou, no dia 21 de janeiro, "Desejos de Mulher" tinha expectativa de ser um grande sucesso, mais uma vez o elenco era de peso e o autor, experiente.

Mas a novela herdou os baixos índices de "As Filhas da Mãe", sua antecessora e o público não gostou da história, o que levou Euclydes Marinho a dar uma reviravolta na trama. Quem não se lembra da falsificação de dólares, que Renato (Cássio Gabus) era cúmplice? E afinal o que aconteceu com as chantagens que o personagem estava recebendo?


O autor mudou a trama e se esqueceu desse "pequeno" detalhe. Júlia (Glória Pires), que no início da trama era uma dona de casa dedicada a família virou uma editora de revista de sucesso. Já sua irmã, Andréa (Regina Duarte), de famosa estilista passou a pobre desmemoriada, aliás, nesta novela Regina Duarte desperdiçou seu talento em um papel medíocre que se perdeu no desenrolar da trama.

Por conta de tantas mudanças, Deborah Evelyn, que dava vida a advogada Fernanda Monteiro, casada com Chico Maia (Eduardo Moscovis), pediu para sair da novela, por não concordar com o rumo que alguns personagens estavam tomando. Cássio Gabus, na época, também não gostou nem um pouco de ver seu personagem Renato se tornando um paraplégico.

Mas nem tudo foi perdido, o que agradou o público foram as encrencas e o circo armado no núcleo da mansão de Ariel Godoy (José Wilker). Tadeu (Otavio Muller), Bill (Evandro Mesquita), Bárbara (Vera Holtz), Virgínia (Silvia Pfeifer), Raquel (Renata Sorrah, que entrou de pára-quedas na trama), o mordomo Cristiano (Sergio Rufino) e o "morto-vivo" cãozinho Igor, que conseguiram dar um ar de comédia na trama de Euclydes Marinho, e fizeram arrancar algumas gargalhadas dos telespectadores.

O último capítulo da trama foi ao ar no dia 24 de agosto de 2002 e atingiu média de 37 pontos e 42 pontos de pico.