fevereiro 15, 2013

Cão morre devido a abandono na Cohab 1

Ação deflagrada entre a APA (Associação Protetora de Animais), equipe de vigilância de Saúde Ambiental e o Grupo de Proteção Ambiental da GCM (Guarda Civil Municipal, resultou no registro de um caso de crueldade contra animal, mais precisamente um cachorro.


O fato ocorreu no Conjunto Habitacional Humberto Popolo (Cohab I), onde segundo denúncias existia um cão amarrado com corrente, sem água e comida. Além disso a denuncia dava conta de que o animal estava infestado com parasitas e vermes.

Quando o agentes municipais chegaram avistaram da rua o animal, constatando seu estado debilitado e em situação de abandono.

O grupo tentou entrar em contato com o proprietário da residência, porém não obteve êxito, pois, segundo informações estaria trabalhando. Não encotnrando outra alternativa os GCM's pularam o muro da casa e resgataram o cão, para garantir a integridade física do animal.

O fato foi registrado na 1ª Central de Polícia Judiciária, onde o Dr. Marcos Sagin Campos que fez a lavratura do Boletim de Ocorrência com enquadramento na Lei 9605/1998 de Crimes contra o Meio Ambiente, art. 32.

Ou seja, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa. § 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos. § 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

O animal foi encaminhado ao Canil Municipal, onde morreu.

Participaram da ação os agentes Rodrigues e Prado, Vanderlei membro da APA e a veterinária Selene.