fevereiro 14, 2013

HC de Botucatu é o 1º colocado no interior de São Paulo em número de transplantes renais


O Serviço de Transplantes do Hospital das Clínicas de Botucatu (HCFMB) confirmou as expectativas iniciais e além de bater seu recorde em procedimentos renais no ano de 2012, também foi agraciado com a notícia de que foi a Instituição do interior do Estado, que mais procedimentos realizou, atingindo tal posto pela primeira vez.


Esta marca também coloca o HCFMB como terceiro colocado na lista estadual e 13º na listagem com hospitais de todo o Brasil.

Em 2012, a equipe botucatuense, comandada pela Dra. Maria Fernanda Carvalho realizou 93 procedimentos, sendo 22 com doadores vivos e 71 com doadores já falecidos.

A marca que garante a primeira colocação do interior supera a da Unicamp, que realizou 91 procedimentos e coloca Botucatu na primeira colocação no interior de São Paulo. Comparado com números de todo o Estado, o HCFMB perde apenas para duas outras instituições, o HC da USP, que realizou 257 transplantes e para o Hospital da Unifesp-EPM, líder absoluto em todo o país, com 840 procedimentos.

Para a coordenadora da equipe responsável pelos transplantes, os números confirmam a qualidade dos profissionais envolvidos. “Temos uma equipe fantástica, que se empenha da melhor maneira possível. Felizmente atingimos o posto de primeiro lugar no interior do Estado e estamos todos muito satisfeitos”, explicou a Dra. Maria Fernanda.

A expressiva marca deixou a médica satisfeita. “Conseguimos aumentar em cerca de 15% nosso número em um ano, mas não sei se conseguiremos ultrapassar a marca dos 93 procedimentos sem um investimento estrutural em um ambulatório exclusivo para o tratamento e a assistência dos pacientes transplantados”, analisou.

A necessidade, de acordo com Maria Fernanda, se dá pelo “casamento” entre os pacientes transplantados e a equipe médica. “Costumo brincar que após o transplante, nossa relação com os pacientes vai até que a morte nos separe, pois temos que oferecer assistência aos mesmos pro resto da vida. O transplante demanda cuidados e exames periódicos e hoje nós já temos cerca de 400 pacientes em acompanhamento. Estamos com nossa capacidade bem próxima do limite”, comentou.

Evolução – Os números divulgados pelo Ministério da Saúde colocam os resultados obtidos de 2009 até 2012, onde se pode notar uma clara evolução da equipe botucatuense. Em 2009 o HC realizou 68 transplantes renais e ocupou a sexta colocação no Estado. No ano seguinte, o número caiu para 66, deixando o HC na sétima colocação estadual. Em 2011, esse número chegou a 80, fazendo com que a equipe retomasse a sexta colocação, até que em 2012, a unidade alcançou a terceira colocação no Estado, com os 93 procedimentos já citados.