março 27, 2013

Intervenção nutricional ameniza desconforto e complicações de pacientes oncológicos


Falta de apetite, náuseas, diarreia e alteração no paladar. Esses são alguns dos problemas enfrentados por pacientes em tratamento oncológico, mas que podem ser minimizados com uma dieta alimentar balanceada. Próximo ao Dia Mundial da Saúde e Nutrição (31 de março), a nutricionista clínica responsável pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND) da Fundação Hospital Amaral Carvalho (FHAC), Maria Helena Hilário esclarece alguns mitos e ressalta aspectos importantes sobre a relação entre alimentação e o tratamento de câncer.


É de extrema importância que o paciente esteja em bom estado nutricional antes de iniciar o tratamento. Segundo Maria Helena, uma alimentação variada, que inclua cinco porções de diferentes frutas ao dia, além de consumo de legumes e verduras (folhosos verdes escuros), cereais integrais, carboidratos complexos e proteínas são alguns dos itens ideais para a dieta prévia à terapia.

A profissional esclarece que o tratamento oncológico, assim como a própria doença, influencia na alteração da ingestão dos alimentos, o que favorece a perda de peso e pode resultar em desnutrição ou anemia, entre outras complicações. “Há uma intervenção nutricional específica para cada intercorrência. No geral, existem alimentos que contribuem para aumentar a imunidade e minimizar sintomas como vômitos e mucosites, por exemplo.”

Quando apresenta algum desconforto ou complicações em decorrência do tratamento, o paciente deve ter uma alimentação leve, que contenha frutas de sua preferência, sorvetes a base de frutas, sopas, purês, vitaminados e água de coco. “É comum o paciente apresentar inapetência, perda de peso ou carências nutricionais, e nesses casos é importante a utilização do suplemento alimentar, que por sua vez irá complementar a alimentação, a fim de suprir as necessidades do organismo”, pontua a nutricionista.

Mitos - Há muitos mitos acerca de alimentos e bebidas que podem prevenir o câncer ou serem ingeridos durante o tratamento. O consumo de babosa, chá das folhas de graviola e cogumelos do sol são algumas as indicações mais populares. Mas de fato, o que é nocivo e o que pode fazer bem ao paciente?

Maria Helena conta que os alimentos citados no exemplo, se consumidos durante o tratamento quimioterápico, podem causar toxidade hepática, complicação no fígado que pode prejudicar a evolução clínica do indivíduo. Assim como estes, outros itens integram a lista de mitos. “Por isso, antes de aderir a qualquer receita caseira para prevenir o câncer, tratar sintomas ou desconfortos, os pacientes devem consultar um médico e um nutricionista.”

Alimentos naturais enriquecidos com vitaminas, minerais, ômega 3, carboidratos, fibras, entre outros aditivos alimentares, os chamados alimentos funcionais, são grandes aliados à saúde e ajudam na prevenção do câncer, de acordo a nutricionista. Fazem parte desta família os integrais, aveia, linhaça, soja, alho, tomate, frutas cítricas, salmão, sardinha, brócolis, gengibre e uma infinidade de itens.

Armazenamento dos alimentos - A profissional ressalta a importância de armazenar os alimentos adequadamente e explica que os alimentos preparados não devem ficar fora de refrigeração por mais de uma hora.

Frutas e verduras que serão consumidas cruas devem ser higienizadas em água corrente e imersas em solução de hipoclorito de sódio (basta seguir as orientações do rótulo) ou água sanitária (1 colher de sopa para cada litro de água potável) por 20 minutos, em seguida, enxaguadas com água filtrada. “Medidas simples podem evitar a contaminação dos alimentos. Esses cuidados com armazenamento e higienização devem ser feitos a fim de evitar complicações, principalmente para pacientes com baixa imunidade”, explica.

No HAC - Os pacientes do Hospital Amaral Carvalho, seja em tratamento ambulatorial ou nas enfermarias, recebem acompanhamento nutricional para adequação e adaptação da dieta alimentar. “A preocupação com a alimentação antes, durante e após o tratamento é relevante e reflete na qualidade de vida do paciente, que corre menos riscos de infecção e pode contribuir para uma alta hospitalar mais rápida”, comenta o superintendente da Fundação Hospital Amaral Carvalho, Antonio Luis Cesarino de Moraes Navarro.

A equipe do Serviço de Nutrição e Dietética da FHAC desenvolveu um Guia Nutricional com dicas para as diversas ocorrências em pacientes oncológicos, além de um manual de recomendações nutricionais para pacientes pós-tranplantados de medula óssea. “Nosso objetivo é garantir, por meio de uma dieta alimentar adequada, qualidade de vida e bem estar aos pacientes”, completa a responsável pelo setor.

Saiba mais  - O Serviço de Nutrição e Dietética é um dos setores mais antigos da Fundação Hospital Amaral Carvalho. É a unidade responsável pela avaliação nutricional, acompanhamento e orientação aos pacientes. A rotina do serviço consiste na visita diária aos pacientes das unidades de internação e ambulatórios do Hospital Amaral Carvalho, onde são feitas as adequações das dietas destes pacientes, respeitando hábitos alimentares regionais e as intercorrências de cada pessoa.